Várias associações aéreas brasileiras processam conjuntamente a Boeing
Fonte: CRI Published: 2022-11-24 14:49:49

A Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (Abimde) e a Associação das Indústrias Aeroespaciais do Brasil (Aiab) entraram nesta terça-feira (22) em São José dos Campos com uma ação civil contra a Boeing, processando a empresa norte-americana por empregar demais profissionais aeroespaciais brasileiros, o que afetou gravemente o desenvolvimento da indústria aeroespacial e a defesa nacional do Brasil.

As associações exigem que a Boeing “pare empregar engenheiros brasileiros em grande escala”. Em seguida, a Empresa Brasileira de Aeronáutica S.A (Embraer) divulgou uma declaração, apontando que o assunto está relacionado aos interesses nacionais e mostrando seu apoio.

O desenvolvimento da indústria da aviação do Brasil foi rápido. A Embraer é a terceira maior fabricante de jatos comerciais do mundo, e assinou em 2018 um memorando de entendimento para a cooperação com a Boeing. Porém, o plano foi suspenso em 2020. Nos últimos anos, a Boeing tem sofrido grave perda de talentos e está procurando ativamente talentos brasileiros nesta área. Recentemente, a concorrência entre a Boeing e as empresas brasileiras aeroespaciais está cada vez mais intensa e acabou sendo levada à justiça.

O presidente da Abimde, Roberto Gallo, disse que mais de dez empresas brasileiras com grande significado estratégico já foram alvos da “caça ilegal” da Boeing. A taxa de rotatividade em departamentos específicos e importantes de algumas empresas até atingiu 70%. Ele informou que a maioria destas empresas participaram de projetos nas áreas de defesa e segurança nacionais e as informações e dados que alguns técnicos têm são essenciais para a estratégia nacional do Brasil.

Até agora, a Boeing não respondeu publicamente sobre o assunto.

Tradução: Nina Niu

Edição: Diego Goulart