Imprensa norte-americana: pandemia causou a perda de pelo menos 500 mil pessoas no mercado de trabalho
Fonte: CRI Published: 2022-09-15 14:32:23

Segundo uma reportagem do jornal norte-americano The New York Times, uma pesquisa mostra que a pandemia de novo coronavírus causou uma perda de pelo menos 500 mil pessoas no mercado de trabalho dos Estados Unidos. A alta taxa de transmissão de variantes do novo coronavírus e a baixa taxa de retorno ao trabalho após a infecção são as principais razões para esta situação. Especialistas preveem que, se a taxa de infecção no país não puder ser efetivamente contida, a lacuna de trabalho poderá existir por um muito tempo.

O impacto da pandemia no mercado de trabalho dos EUA é muito claro. Durante a pandemia, um milhão de norte-americanos morreram e 260 mil deles não atingiram a idade para se aposentar. Além disso, milhões de pessoas se aposentaram cedo ou foram forçados a deixar seus empregos para cuidar de suas famílias e filhos. Atualmente, embora as empresas tenham retomado gradualmente a produção, os dados mostram que a vontade geral de trabalhar ainda não é tão alta quanto antes da pandemia. As pessoas já empregadas ou que estão procurando emprego representavam 62,4% da população em agosto, 1 ponto percentual a menos do que antes da pandemia.

O Wall Street Journal relatou que na visão de muitos economistas, o problema do emprego é um dos principais desafios da economia dos EUA. Há escassez de mão de obra em vários setores e muitas empresas não podem fornecer bens e serviços suficientes. No longo prazo, o crescimento da economia de um país depende do aumento da força de trabalho e da produtividade. Se o mercado de trabalho demorar para se recuperar, os setores de serviços e manufatura inevitavelmente serão prejudicados e será difícil o crescimento da economia.

Tradução: Cecília Ma

Revisão: Diego Goulart