Comentário: Violência armada é um “medo profundo” que cobre a sociedade americana
Fonte: CRI Published: 2022-09-15 14:40:06

Para muitas famílias, o novo ano letivo é um novo começo emocionante. Mas para cidadãos de Uvalde, Texas, foi um lembrete doloroso. Três meses antes, um tiroteio ocorrido na escola primária local Robb causou a morte de 19 alunos e dois professores. O presidente Joe Biden assinou em junho deste ano o chamado projeto de lei de controle de armas, o mais importante nos últimos 30 anos, mas tragédias semelhantes continuam nos Estados Unidos.

O último final de semana foi o mais sangrento nos EUA, pois, ocorreram tiroteios em vários estados, como Illinois, Kentucky, Indiana, Pensilvânia e Nova Iorque. As estatísticas mostram que 31 mil norte-americanos morreram por causa da violência armada neste ano, ou seja, 122 óbitos por dia. Este problema já se tornou um “medo profundo” que cobre toda a sociedade americana. E o pior é que as escolas são uma das áreas mais afetadas.

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Michigan, 75% dos adolescentes americanos acreditam que os tiroteios se tornaram sua principal fonte de estresse. Agora é o início do semestre de outono, e uma cena única em muitos campi americanos é que além das aulas, os alunos precisam estar preparados para um incidente de tiro a qualquer momento. No Texas, por exemplo, a partir de junho, todos os distritos escolares foram obrigados a realizar até 16 horas de “treinamento de resposta a artilheiros”.

Por que nos EUA, o país mais avançado do mundo, o controle de armas é tão difícil? Primeiro, a Segunda Emenda à Constituição dos EUA sobre o direito de portar armas é inabalável. Os Estados Unidos são o país com o maior número de armas de propriedade privada no mundo. Os dados mostram que os americanos têm 25 vezes mais chances de serem mortos em um tiroteio do que em outros países de alta renda.

A segunda razão é o interesse econômico. Nos Estados Unidos, a produção e a venda de armas é uma grande indústria, com um mercado que registrou US$ 70,5 bilhões em 2021. Como um dos grupos econômicos mais influentes dos Estados Unidos, a National Rifle Association (NRA), além de fornecer enormes doações políticas, todos os anos gasta muito dinheiro para promover a "importância da posse legal de armas" e dificultar a implementação das medidas de controle de armas.

Terceiro, desde o surto da pandemia, os problemas sociais dos EUA, como a discriminação racial e a diferença de renda, são agravados, o que causou mais casos de violência. 

Um fato inacreditável é que uma vez que ocorra um grande tiroteio nos Estados Unidos, a venda de armas não diminui, mas aumenta. Assim a sociedade cai em um círculo vicioso. O projeto de lei assinado por Biden em junho deste ano também não funciona, porque no mês seguinte, ocorreram mais de 70 grandes tiroteios no país.

Tradução: Luís Zhao

Revisão: Diego Goulart