Trabalhadores de Xinjiang escolhem empregos de acordo com suas vontades, diz relatório

Fonte: Xinhua Published: 2021-04-30 21:34:43
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

Trabalhadores de todos os grupos étnicos na Região Autônoma Uigur de Xinjiang escolhem seus empregos de acordo com suas próprias vontades, mostrou um relatório divulgado na sexta-feira pelo Centro de Pesquisa para Desenvolvimento de Xinjiang.

O relatório, intitulado "As falácias do caluniador Adrian Zenz relacionadas a Xinjiang e a verdade", refuta as alegações de Adrian Zenz, um suposto acadêmico alemão, de que toda a Xinjiang está coberta por trabalho forçado e o governo chinês força a realocação obrigatória de um grande número de trabalhadores de minorias de Xinjiang para empresas no leste da China para mudar sua identidade e visão de mundo.

Isso é apenas uma imaginação e uma conversa maluca de Adrian Zenz, diz o relatório.

Na verdade, os trabalhadores em Xinjiang assinam contratos de trabalho com empresas de forma igualitária e voluntária e recebem remuneração conforme a legislação trabalhista da China e outras leis e regulamentos relacionados, e também desfrutam de total liberdade em escolher locais de trabalho, diz o relatório.

Os direitos das populações de todas as etnias são protegidos de acordo com a lei em termos de remuneração, descanso e férias, segurança e saúde no trabalho e o seguro social, afirma o relatório.

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Artesanatos decorados com fios de ouro de 0,2mm
Artesão de Hainan produz instrumento musical com cocos
Artista polonês constrói uma casa em formato de chaleira
Escola primária em Changxing comemora o Dia Mundial da Terra
Vamos proteger a Terra com ações práticas
Terras abandonadas são transformadas em parque de chá em Yingshan na província de Sichuan

Notícias

Rússia diz que continua atacando armamento oferecido pelos EUA e Europa à Ucrânia
O “petróleo democrático” com preço subindo
Cidades e vilas chinesas geram 2,85 milhões de empregos no primeiro trimestre de 2022
EUA não querem paz na Ucrânia
Equipe médica chinesa oferece consultas médicas gratuitas em São Tomé e Príncipe
Comentário: Destino de Assange revela a realidade da “liberdade do estilo norte-americano”