Representante da China na ONU conclama aos EUA para que defendam a segurança internacional

Fonte: CRI Published: 2020-10-10 21:25:58
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

Na reunião do Comitê de Desarmamento e Segurança Internacional da 75ª Assembleia Geral da ONU, realizada no dia 9 de outubro, um representante dos EUA difamou por mais uma vez a China pela epidemia do novo coronavírus. Ele alegou que a paz e segurança internacional estão seriamente ameaçadas devido ao desenvolvimento da energia nuclear da Rússia e da China. Quanto às críticas, o vice-representante permanente da China nas Nações Unidas, Geng Shuang, salientou que é completamente inaceitável espalhar o vírus político através da plataforma da ONU. As acusações infundadas à China não podem ocultar o fracasso dos EUA no combate à epidemia.

Segundo Geng Shuang, o governo chinês se opõe à corrida armamentista e insiste firmemente no multilateralismo. A China cumpre sempre os tratados sobre controle de armas e apoia a cooperação e diálogo na área de segurança, cujas contribuições para a causa do desarmamento são reconhecidas pela comunidade internacional. Por sua vez, os EUA são a maior ameaça atual para a segurança e estabilidade estratégica global.

As despesas militares dos EUA estão em primeiro lugar no mundo ao longo de anos, atingindo mais de US$700 bilhões, em 2019, e respondendo por quase 40% do número total do mundo. A Casa Branca também considera a China e a Rússia como competidores estratégicos, espalhando a teoria da ameaça dos dois países.

Os EUA têm persistido no unilateralismo e atualizam constantemente seu arsenal nuclear, tentando reduzir o limite para uso de armas nucleares. Por outro lado, o país costuma manipular politicamente e adere a padrões duplos na questão de não proliferação nuclear, além de impor sanção unilateral contra outros países.

Além disso, os EUA também fortalecem sua presença militar na Ásia-Pacífico e Europa Central e Oriental para estabelecer a superioridade absoluta. Como o único país do mundo com estoques de armas químicas, os EUA adiaram repetidamente a destruição das armas. O país também está envolvido em ataques cibernéticos e atividades de vigilância, visando dominar o ciberespaço.

O diplomata chinês também apelou aos EUA para impulsionarem o processo de desarmamento e defenderem a segurança e estabilidade global, com base em uma atitude aberta, honesta, responsável e construtiva.

Tradução: Zhao Yan

Edição: Diego Goulart

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Semana de moda de Shanghai - Desfiles de Primavera-Verão 2021
Vista aérea das árvores de populus euphratica na cidade de Jiuquan, província de Gansu, noroeste da China
Paisagem de outono da vila Hemu em Xinjiang
Antiga vila de Zhouzhuang recebe decorações para celebrar o Festival da Lua e o Dia Nacional
Um caminho verde elevado foi lançado oficialmente na cidade de Tangshan
Pandas gigantes recebem uma festa de aniversário coletiva em Sichuan

Notícias

China doa equipamentos médicos para comunidades indígenas na Amazônia
Filhote de panda gigante está "ganhando peso", diz zoológico norte-americano
Turismo doméstico se recupera durante feriado do Dia Nacional da China
Vida próspera nos livros
Apenas a China terá um crescimento econômico positivo, prevê institutos de pesquisa europeia
Quase 70 países expressaram apoio à posição da China na Assembleia Geral da ONU