Comentário: “Lei da Autonomia de Hong Kong” dos EUA revela sua má intenção de perturbar Hong Kong

Published: 2020-06-27 21:35:24
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

O Senado dos EUA aprovou recentemente a “Lei da Autonomia de Hong Kong”, ameaçando sancionar indivíduos, instituições financeiras e outras entidades que “prejudicam a autonomia de Hong Kong”. As ações autoritárias norte-americanas interferem nos assuntos internos da China e violam as normas básicas das relações internacionais. As más intenções de alguns políticos dos EUA de agir contra a China e perturbar Hong Kong foram reveladas e criticadas amplamente pela comunidade internacional.

Desde o surto dos tumultos em Hong Kong no ano passado, as atividades de “independência de Hong Kong” e separação extremista na região vêm sendo frequentes. Perturbadores assaltaram agências públicas, paralisaram o transporte, atacaram e realizaram despojos, roubos e incêndios. As atividades causaram mortes de civis inocentes e trouxeram uma grande ameaça aos interesses e segurança do país.

Nenhum país toleraria perturbações como as ocorridas em Hong Kong, nem aceitaria crimes violentos. A China tem o direito de promulgar a lei sobre a segurança nacional e isso é um assunto interno do país.

Sendo um centro financeiro internacional, o prejuízo à estabilidade e prosperidade de Hong Kong afetará também os interesses das empresas norte-americanas na região, assim como o comércio internacional dos EUA com Hong Kong como estação de transferência.

Alguns políticos norte-americanos, porém, não possuem os conhecimentos básicos sobre a política, história e economia, e nem os levam em consideração. Eles só agem a partir do preconceito ideológico e dos seus próprios interesses políticos, com a tentativa de ganhar benefícios com as perturbações em Hong Kong e impedir o desenvolvimento da China.

Um porta-voz do governo da Região Administrativa Especial de Hong Kong (RAEHK) afirmou nesta sexta-feira (26) que a implementação do princípio de “Um País, Dois Sistemas” é completamente um assunto interno da China e nenhum país alheio pode interferir nele.

Pessoas justas sabem que fechar as brechas na defesa da segurança nacional em Hong Kong é um tema dentro da política de “Um País, Dois Sistemas” e da alta autonomia. Alguns políticos norte-americanos, contudo, confundiram deliberadamente a “alta autonomia” e a “autonomia completa”.

Para qualquer país, a legislação sobre a segurança nacional é um direito soberano inviolável. A garantia da segurança nacional do país também é a maior responsabilidade do governo central da China.

Apesar desse princípio convencional, a China não implementa diretamente as leis relacionadas à segurança nacional da parte continental em Hong Kong. A legislação de segurança nacional de Hong Kong foi realizada conforme a autorização da Constituição, Lei Básica de Hong Kong e resoluções da Assembleia Popular Nacional, levando em consideração a situação real na região. Isso comprova um respeito ao princípio de “Um País, Dois Sistemas”.

Em Hong Kong, foi lançada recentemente uma petição online em oposição à interferência de forças estrangeiras como os EUA. Até à meia-noite de ontem, a iniciativa havia recebido mais de 1,26 milhão de assinaturas de habitantes locais.

É essa a opinião pública de Hong Kong. Quando alguns políticos norte-americanos emitem comentários sem fundamentos sobre a lei de segurança nacional de Hong Kong, manifestantes norte-americanos realizam protestos nos EUA e criam “regiões autônomas” no país. Os políticos norte-americanos manifestaram apoio à repressão violenta dessas ações. Que “padrão duplo” aplicado pelos EUA!

As “sanções” norte-americanas vão ser tudo em vão. O destino de Hong Kong depende dos 1,4 bilhão de chineses, incluindo os compatriotas de Hong Kong. Vamos urgir os políticos norte-americanos a parar imediatamente as interferências nos assuntos internos da China e a dedicar mais atenção a coisas importantes.

Tradução: Paula Chen

Revisão: Gabriela Nascimento

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Laboratórios de teste de ácido nucleico entra em operação experimental em Beijing
Pessoas chineses abraçam o Festival do Barco do Dragão
Beijing: residentes de comunidade realizam teste de ácido nucleico
Centro cultural em Urumqi
Paisagem de verão da pradaria Xilingol
Estradas turísticas ajudam aumentar a renda local

Notícias

OMS espera fornecer 2 bilhões de doses da vacina contra Covid até fim de 2021
Legislação de segurança nacional em Hong Kong amedronta perturbadores, diz alto funcionário da RAEHK
Lei de segurança nacional de Hong Kong oferece maior espaço para política de “Um País, Dois Sistemas”, diz alto funcionário da RAEHK
Rio de Janeiro anuncia reabertura de comércio de rua, cabeleireiro e barbearias
Beijing relata 17 novos casos de COVID-19
OMS alerta para ressurgimento da epidemia de Covid-19 na Europa