Especialista da Casa Branca: acusações de Trump contra a China não são verdadeiras

Published: 2020-03-24 16:08:18
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

O diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas e conselheiro científico da Casa Branca, Anthony Fauci, disse recentemente em uma entrevista à revista Ciência que não concorda com a descrição de Donald Trump do novo coronavírus como um "vírus chinês". Fauci disse que ele próprio "nunca diria isso".

Ele salientou que embora não tenha oposição em princípio ao que Trump disse na conferência de imprensa, a maneira como Trump expressou realmente causou um mal-entendido dos fatos. Trump disse que a China “deve informar os EUA da epidemia do COVID-19 com três ou quatro meses de antecedência". Em relação à afirmação, Fauci disse que esta declaração é inconsistente com os fatos, porque dois ou três meses antes do começo da epidemia era setembro do ano passado. Para Fauci, os funcionários relacionados devem aconselhar Trump para ser mais cauteloso e parar de usar tal expressão.

Tradução: Li Jinchuan

Revisão: Diego Goulart

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Trabalhadores montam um navio no estaleiro da fábrica na ilha de Changxing de Shanghai
Os restaurantes de hotpot em Chengdu retomam os negócios com medidas de prevenção
Flores de cerejeira desabrocham em Beijing
Os alunos de Qinghai iniciaram novo semestre com medidas de prevenção mais rigorosas contra o novo coronavírus
Agricultores colhendo folhas de chá em uma plantação
Torre Pérola Oriental de Shanghai reabre ao público

Notícias

Prefeito de Nova York acusa Trump de resposta ruim à epidemia
Ex-alta funcionária estadunidense acusa Trump de dissolver escritório de prevenção epidêmica
Comentário: Tratar China como bode expiatório não ajuda a combater a epidemia
Recrutamento no Aplicativo Yangshipin oferece 210 mil vagas de emprego
​China opõe-se firmemente à estigmatização no combate à epidemia
​Senadores norte-americanos obtiveram lucros acionários com informação privilegiada antes do começo da pandemia