República de Kiribati anuncia quebra de relações com autoridades de Taiwan

Fonte: CRI Published: 2019-09-20 19:23:07
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

O governo da República de Kiribati anunciou nesta sexta-feira (20) o reconhecimento do princípio de uma só China e a quebra de relações com as autoridades de Taiwan para recuperar o relacionamento diplomático com a República Popular da China.

O porta-voz do Ministério das Relações Internacionais da China, Geng Shuang, elogiou a decisão de Kiribati como país soberano e independente.

Na entrevista coletiva, o diplomata chinês reiterou que existe apenas uma China no mundo e o governo da RPC é o único e legítimo que representa toda a China, assinalando Taiwan como território inseparável da nação chinesa.

“Os países do Pacífico, tal como Ilhas Salomão e Kiribati, declararam sucessivamente o estabelecimento ou a recuperação das relações diplomáticas com a China, o que demonstra que o reconhecimento pelo princípio de uma só China é uma tendência irresistível”, reforçou Geng Shuang. Ele afirmou ainda que a parte chinesa está disposta a se esforçar junto com Kiribati para virar uma nova página no relacionamento.

Tradução: Isabel Shi

Revisão: Erasto Santo Cruz

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Vista aérea do Lago Oeste em Hangzhou
Festival Internacional de Circo da China realizado em Zhuhai
Reserva Nacional Natural de Wanglang, na província de Sichuan
Cenário de neve no parque Beiling em Shenyang
Panda gigante brinca na neve em Heilongjiang
Paisagem do lago Ruqin no ponto turístico de Lushan em Jiangxi

Notícias

Presidentes da China e do Suriname reúnem-se em Beijing
Presidente chinês salienta importância de cultivar talentos militares
Políticos dos EUA difamam a imagem da China com intenções sinistras, disse porta-voz da Chancelaria
Comentário: Investidores globais estão otimistas com o mercado de capitais da China
Compatriotas de Taiwan têm tratamento igualitário em mais setores na parte continental chinesa
Alto funcionário do PCCh critica ato dos EUA sobre Hong Kong