Especialistas sugerem reforço do papel do euro

Fonte: CRI Published: 2019-08-29 21:56:11
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

Vários especialistas europeus escreveram em conjunto um artigo, apelando por esforços concretos para elevar a posição internacional do euro em resposta às ações unilaterais dos EUA.

O artigo publicado no jornal francês Le Figaro menciona que a conjuntura internacional vem se tornando intensa desde a tomada de posse de Donald Trump.

Com a adoção de jurisdição extraterritorial pelos EUA, a soberania europeia só é parcialmente respeitada. As recentes situações ocorridas no Irã, em Cuba e na Rússia mostram que a União Europa (UE) não tem a capacidade de resistir a essa política norte-americana.

O texto apontou que, graças ao poderio econômico e militar dos EUA, o dólar continua sendo a moeda mais importante do mundo.

Apesar de ter uma posição equivalente ao dólar, como uma moeda de liquidação, o euro mantém uma diferença significativa nas funções de reserva, letras financeiras e moeda de câmbio.

O artigo destacou que a UE é a maior entidade comercial do mundo e pode procurar maior influência e responsabilidade no palco internacional. Para alcançar o objetivo, o bloco deve tomar mais ações concretas.

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Vista aérea do Lago Oeste em Hangzhou
Festival Internacional de Circo da China realizado em Zhuhai
Reserva Nacional Natural de Wanglang, na província de Sichuan
Cenário de neve no parque Beiling em Shenyang
Panda gigante brinca na neve em Heilongjiang
Paisagem do lago Ruqin no ponto turístico de Lushan em Jiangxi

Notícias

Presidentes da China e do Suriname reúnem-se em Beijing
Presidente chinês salienta importância de cultivar talentos militares
Políticos dos EUA difamam a imagem da China com intenções sinistras, disse porta-voz da Chancelaria
Comentário: Investidores globais estão otimistas com o mercado de capitais da China
Compatriotas de Taiwan têm tratamento igualitário em mais setores na parte continental chinesa
Alto funcionário do PCCh critica ato dos EUA sobre Hong Kong