Encontro entre presidentes da China e EUA rende efeitos comerciais notáveis

Published: 2017-11-14 18:36:19
Comment
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

O recente encontro entre os presidentes da China, Xi Jinping, e dos EUA, Donald Trump, rendeu importantes êxitos na área comercial. As duas maiores economias do mundo assinaram acordos cuja soma total, de US$ 253,5 bilhões, quebrou um recorde histórico. O vice-ministro do Comércio da China, Yu Jianhua, afirmou que o resultado demonstra a ampla base popular para a cooperação econômica e comercial entre os dois países.

A visita de Trump a Beijing, entre os dias 8 e 10 de novembro, foi a primeira de um chefe-de-Estado estrangeiro recebida pelo país asiático após o 19º Congresso Nacional do Partido Comunista da China. Durante a visita, os líderes das duas potências econômicas realizaram um encontro histórico.

Yu Jianhua avaliou que os resultados do encontro entre Xi Jinping e Trump revelam a face de benefício mútuo da colaboração sino-americana.

“Durante o encontro, os dois líderes presenciaram a assinatura de 34 acordos e documentos de intenção de cooperação, somando um valor total de US$ 253,5 bilhões. Por exemplo, chegamos a um acordo de cooperação energética com o estado norte-americano do Alasca. Uma vez concretizado, o projeto poderá criar 70 mil postos de trabalho para os EUA e, ao mesmo tempo, ajudar a China a reduzir a emissão de 80 milhões de toneladas de dióxido de carbono a cada ano.”

Além dos acordos, os representantes dos setores político e comercial dos dois países também realizaram discussões sobre a promoção da cooperação empresarial em diversas áreas, alcançando consensos na ampliação da abertura.

Conforme Yu Jianhua, a China solicitou aos EUA que liberem as limitações sobre a exportação de produtos de alta tecnologia e tratem em pé de igualdade o investimento de empresas chinesas no país. Ao mesmo tempo, os chineses pediram aos Estados Unidos que adotem medidas de subsídios comerciais com cautela. Em contrapartida, a China assumiu compromissos para ampliar sua abertura.

“No aspecto de acesso ao mercado, anunciamos uma série de novas medidas nos domínios bancários, de título, futuro, fundo, seguro e tarifas automobilísticas. Por isso, a visita de Trump à China foi frutífera e alcançou resultados equilibrados para as duas partes.”

Yu Jianhua disse que os acordos firmados desta vez servirão como uma importante base para a cooperação bilateral no futuro. O vice-ministro chinês propôs que a China e os EUA reforcem sua colaboração, contornem as divergências e continuem aproveitando o papel fundamental da cooperação econômica e comercial nas relações entre as duas nações.

“O volume de transações comerciais entre a China e os EUA supera os US$ 750 bilhões anualmente. É natural ter fricções em um comércio de proporções tão grandes. A questão-chave é tratá-las de forma racional e apropriada. Precisamos de diálogo e negociação para superar os problemas.”

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Ni Ni e Jing Boran posam juntos para "BAZAAR"
Canteiro de flores na Praça de Tiananmen
Paisagem de Shahu, no noroeste da China
Veja fotos do último dia do Rock in Rio 2017
Semana de Moda de Milão 2018
Exposição Gastronômica do Meio-Outono realizada em Chengdu

Notícias

UE adota medidas para enfrentar crise na segurança de alimentos
Beijing inicia construção de novo ponto de partida histórico
Lançado primeiro trem de carga refrigerado China-Rússia
Vice-premier chinesa é premiada pela Universidade de Nova York
Xi Jinping visita Exposição "Os 5 anos de mudanças da China"
Construção de alto padrão do subcentro de Beijing é promovida ordenadamente