​Comentário: abertura e inclusão para defender comunidade global de desenvolvimento econômico

Published: 2020-09-09 15:58:51
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

A Feira Internacional de Comércio de Serviços da China 2020 (CIFTIS, sigla em inglês) foi encerrada nesta quarta-feira (9), na qual foi apresento uma série de novos modelos e novas conquistas no setor.

Sob o contexto da expansão do Covid-19 no globo, a CIFTIS 2020 tem um grande significado. Agora, foram registrados mais de 27 milhões de casos confirmados e mais de 880 mil mortes em todo o mundo. A pandemia está afetando gravemente a economia mundial. O Banco Mundial prevê uma queda de 5,2% da economia global neste ano, a pior recessão deste a Segunda Guerra Mundial.

Superar a pandemia e recuperar a economia são as tarefas prioritárias para todos os países. O setor de serviços é um elemento indispensável nas atividades econômicas, tornando-se agora uma indústria pilar da economia global. Segundo estatísticas da Organização Mundial do Comércio (OMC), a proporção do setor de serviços no comércio global aumentou de 9%, em 1970, para cerca de 20% atualmente. A realização da feira de serviços pode fortalecer a conexão do comércio do setor entre países e regiões, estimulando, sem dúvida, um novo motor para a recuperação econômica mundial.

O multilateralismo é um valor central da Carta das Nações Unidas, sendo também um princípio básico para o funcionamento do sistema institucional global que tem a ONU como núcleo. Porém tem enfrentado enormes desafios nos últimos anos. Por exemplo, na área econômica, estão aumentando a cada dia o protecionismo e o unilateralismo e ressurgindo a antiglobalização. Roberto Azevedo, ex-diretor-geral da OMS que deixou seu cargo um ano antes do planejado, disse que a cooperação internacional não está fácil, mas necessária para o atual mundo interconectado, pois o sistema de comércio multilateral é um pilar fundamental para a paz e prosperidade global.

A China defende constantemente esse pilar com ações concretas, como, por exemplo, a iniciativa “Cinturão e Rota”. Após sete anos desde seu lançamento, o “círculo de amigos” já expandiu para 138 países. No ano passado, o volume total de importações e exportações de mercadorias entre a China e os países ao longo do Cinturão e Rota aumentou para US$1,34 trilhão.

A China é o primeiro país que conseguiu controlar a epidemia, e sua economia está voltando à normalidade. Nos últimos anos, sua taxa de contribuição para o crescimento econômico mundial foi de cerca de 30%. Neste ano, o país contribuirá ainda mais, sendo a única economia principal que pode registrar um aumento positivo segundo a previsão do Fundo Monetário Internacional.

A participação ativa de empresas chinesas e estrangeiras na CIFTIS demonstraconfiança na economia chinesa, aprovação da contribuição da China para a economia mundial e, também, um apoio para o relacionamento econômico internacional caracterizado pela cooperação multilateral, abertura, inclusão e benefício recíproco.

tradução: Shi Liang

revisão: Diego Goulart

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Parque Nacional de Floresta Tropical de Hainan
Área de pastagem em Xilingol entra na temporada de corte de grama
Salão de Concerto de Shanghai reabre ao público
Um protetor da Grande Muralha de 63 anos em Hebei
As bagas de goji entraram na temporada de colheita
Novas tecnologias na feira de comércio de serviços

Notícias

Começa em Beijing o Mês de Promoçâo do Consumo Nacional 2020
Comentário: Vitória da luta contra a epidemia é uma nova força para o progresso da China
Chancelaria chinesa repudia teses dos EUA sobre o rio Mekong
Xi Jinping resume espírito de combate à COVID-19
Quatro personalidades premiadas pela contribuição na luta contra Covid-19
China premia personalidades pelas contribuições na luta contra Covid-19