Comentário: Ninguém se beneficia com a deterioração da situação no Oriente Médio

Published: 2020-01-08 21:42:57
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

As tensões no Oriente Médio estão aumentando. A confrontação entre os Estados Unidos e o Irã continuará a se desenvolver, sendo também imprevisível. Mas todo mundo sabe que os dois países vão entrar em um ciclo vicioso de retaliação caso haja atos arriscados ou erros de julgamento, situação que não corresponde aos interesses de nenhuma das partes.

A vingança radical não é razoável para o Irã. Teerã está enfrentando agora a pior situação econômica em 40 anos por causa de sanções impostas pelos Estados Unidos. Uma retaliação militar em larga escala pode servir como uma válvula para a raiva dos iranianos num curto prazo, mas vai prejudicar o desenvolvimento do país a longo prazo.

O Irã declarou a suspensão do acordo nuclear, mas logo depois, enfatizou que o país não tem interesse de possuir armas nucelares. Isso, de fato, reserva um espaço para a retomada de diálogos e negociações.

Os Estados Unidos estão isolados no cenário internacional após o assassinato de Qassem Soleimani. Os países ocidentais como Reino Unido, França e Alemanha criticaram o abuso de força pelos EUA. O governo norte-americano também está sob enorme pressão doméstica. Após o Pentágono anunciar o envio de mais tropas ao Oriente Médio, manifestações anti-guerra foram realizadas em mais de 70 cidades norte-americanas.

Se a situação no Oriente Médio sair do controle, isso pode levar riscos enormes para a estratégia dos EUA na região. Washington pode enfrentar uma nova crise se iniciar uma guerra contra o Irã.

O Oriente Médio é de grande importância para a segurança global. Se a confrontação entre os EUA e o Irã continuar a se deteriorar até se tornar uma guerra, mais pessoas inocentes vão perder suas vidas, o desenvolvimento econômico e social da região vai parar e a paz regional vai ser ainda mais desesperadora.

A tensão no Oriente Médio preocupa muito a comunidade internacional. Vários países anunciaram a retirada de seus diplomatas e emitiram alerta para viagens. Houve grandes flutuações no mercado financeiro internacional e um rápido aumento no preço de contratos futuros de petróleo e ouro. Tudo isso lembra a estagnação econômica nos países desenvolvidos causada pela quarta guerra árabe-israelense.

Um artigo da revista Foreign Policy dos EUA disse que há mais de uma década, a diplomacia dos EUA tem o mantra: "Sem os Estados Unidos, o Oriente Médio cairá no caos”. Mas essa opinião é errada, dada à situação atual, e os Estados Unidos são o maior destruidor do Oriente Médio. Teerã disse recentemente que não queria guerra. E agora, Washington deve manter-se contido e retornar à mesa de negociações o mais rápido possível.

tradução: Shi Liang

revisão: Gabriela Nacismento

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Pandas gigantes se divertem na neve em Jinan
China Post lança selos especiais do Ano Lunar do Rato
Neve cai em Beijing pela primeira vez em 2020
Paisagem de inverno no Lago Salgado Yuncheng em Shanxi
Festival de Laba
Veja a comemoração de Ano-Novo na cidade Changsha

Notícias

Xinjiang recebe US$ 2,7 bilhões de fundos de ajuda em 2019
Tesla lança programa do Modelo Y em Shanghai
Reservas cambiais da China chegam a US$ 3,11 trilhões
XCMG abre banco no Brasil para ajudar construção de infraestruturas
Vários estudantes feridos em confrontos dentro da Universidade de Déli
PIB do Tibet cresce 9% em 2019