Sonda chinesa para Marte conclui primeira correção orbital

Fonte: Xinhua Published: 2020-08-02 17:11:21
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

A sonda chinesa para Marte, Tianwen-1, realizou com sucesso sua primeira correção orbital na manhã deste domingo, informou a Administração Nacional Aeroespacial da China (CNSA, sigla em inglês).

A sonda realizou a correção orbital às 7h da manhã (horário de Beijing) depois que o motor de 3000N funcionou por 20 segundos, e continuou a ir para Marte. Todos os sistemas estavam em boas condições.

Antes da correção orbital, a sonda de Marte havia viajado mais de 230 horas no espaço e estava a cerca de 3 milhões de quilômetros da Terra.

A operação também testou o desempenho do motor de 3000N. A sonda passará por várias correções orbitais em sua viagem de mais de seis meses a Marte, revelou a CNSA.

A China lançou a sonda de Marte em 23 de julho, projetada para completar a órbita, o pouso e a movimentação em uma missão, dando o primeiro passo em sua exploração planetária do sistema solar.

Espera-se que a sonda de Marte chegue ao planeta vermelho por volta de fevereiro de 2021. Depois de entrar na órbita, passará mais dois a três meses pesquisando os possíveis locais de aterrissagem antes do pouso.

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Shantou: uma cidade diversa, rica em história
Xiamen, um jardim sobre o mar
Belo dia de sol em Beijing
Shenzhen: uma cidade moderna, energética, internacionalizada e de moda
Idosos praticam aeróbica tradicional no parque Templo do Céu em Beijing
Próspera indústria de plantação de pêras em Xinjiang

Notícias

Emissão de títulos da China chega a US$ 680 bilhões em julho
Aldeia na região montanhosa de Chongqing está mais acessível e tecnológica
72% dos ingressos do Festival Internacional de Cinema de Beijing são vendidos em 10 minutos
​Começa construção do CMG Copyright Trade Center em Shanghai
Xi Jinping: PCCh sempre terá sucesso se governar para o povo
Mianmar inicia 4ª reunião da Conferência de Paz de Panglong do Século 21