Li Keqiang: Trabalhar pelo avanço na pesquisa de medicamentos contra o COVID-19

Published: 2020-02-28 21:52:05
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

O premiê chinês, Li Keqiang, salientou nesta sexta-feira (28) que é preciso dedicar mais esforços para obter avanços maiores o mais rápido possível na pesquisa de reagentes eficientes de detecção do novo coronavírus, medicamentos e vacinas eficazes.

Ao fazer uma visita de inspeção à plataforma de emergência de dispositivos e medicamentos contra o COVID-19, Li Keqiang disse que é urgente desenvolver reagentes com tempo de teste mais curto, resultados mais precisos e operação mais simples para aumentar a capacidade de detecção do vírus. Segundo ele, é necessário respeitar leis científicas e garantir a qualidade na pesquisa e desenvolvimento de vacinas contra o vírus, ao mesmo tempo, reforçar a cooperação internacional na área.

Li Keqiang ainda exigiu aos departamentos relacionados que melhorem a eficiência da verificação, revisão e aprovação sem baixar os padrões, e que aumentem o apoio à pesquisa e desenvolvimento, além de divulgar oportunamente informações precisas e confiáveis ao público.

tradução: Shi Liang

revisão: Erasto Santos Cruz

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Agricultores colhem vegetais para garantir o fornecimento do mercado
Aviões fretados levam trabalhadores de volta ao trabalho
Restaurante oferece refeições gratuitas para funcionários médicos em Haikou
Campo de flores de canola em Sichuan
Estudantes de Shanghai participaram de uma aula experimental online
Oficinas destinadas ao alívio da pobreza retomam produção em Hunan

Notícias

Primeiro-ministro anuncia grande revisão da abordagem britânica pós-Brexit
Vice-presidente chinês reúne-se com primeiro vice-premiê da Sérvia
OMS apela por esforços internacionais na luta contra COVID-19
Sonda chinesa Chang'e-4 mapeia imagem da subsuperfície no lado escuro lunar
China é capaz de produzir mais de 70 milhões de máscaras por dia
São Paulo tem primeiro caso confirmado do novo coronavírus no Brasil