Comentário: É assim que nasceu a grande mentira sobre Xinjiang!

Fonte: CRI Published: 2019-12-27 19:39:43
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

Grayzone, um website de notícias independente dos EUA, divulgou recentemente um artigo revelando de onde vieram as informações falsas sobre Xinjiang. A pesquisa, feita em conjunto por Ajit Singh e Max Blumenthal, abriu uma janela para a comunidade internacional conhecer o que realmente aconteceu em Xinjiang, oeste da China.

Segundo o relatório de pesquisa, a alegação de que a China deteve milhões de uigures em sua região de Xinjiang é repetida no ocidente com crescente frequência, mas pouco foi investigado. No entanto, um olhar mais atento a esta alegação e como ela foi obtida revela uma séria deficiência de dados, pois embora seja tratada como inatacável no Ocidente, ela é, de fato, baseada em duas “investigações” altamente duvidosas.

A primeira, conduzida pela Rede Chinesa de Defensores dos Direitos Humanos, apoiada pelo governo dos EUA, formou sua estimativa entrevistando um total de apenas oito pessoas.

A segunda baseou-se em relatos e especulações frágeis da autoria de Adrian Zenz, um cristão fundamentalista de extrema-direita que se opõe à homossexualidade e à igualdade de gênero, além de apoiar a “palmada bíblica” nas crianças e acreditar que ele é “liderado por Deus” em uma “missão contra a China”.

A pesquisa de Ajit Singh e Max Blumenthal descobriu que enquanto Washington aumentava a pressão sobre a China, Zenz foi retirado da obscuridade e transformado quase da noite para o dia em um especialista em Xinjiang. Ele testemunhou perante o Congresso e deu comentários em veículos como Wall Street Journal. Mas Zenz chegou à sua estimativa “superior a 1 milhão” baseando-se em um único relatório da Istiqlal TV, uma organização de mídia uigur exilada com sede na Turquia.

O texto publicado pelo Grayzone é extremamente precioso, pois quase todas as imprensas ocidentais difamam a China. O artigo revelou também que a Rede Chinesa de Defensores dos Direitos Humanos recebe significativo apoio financeiro justamente do National Endowment for Democracy (NED), organização dedicada a lançar “revoluções de cor” no mundo inteiro.

No caso de Adrian Zenz, ele é um pesquisador da Fundação Memorial das Vítimas do Comunismo, entidade que tem forte laço com a Agência Central de Inteligência (CIA). Ele mesmo admitiu que sua estimativa sobre Xinjiang é “especulativa”.

A mentira é como uma bolha de sabão. Ela estoura quando é tocada.

Tradução: Inês Zhu

Revisão: Erasto Santo Cruz

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Show de luzes em Wuhan
​Sanya, um perfeito destino turístico para fugir do frio do inverno
Parque temático mundo de gelo e neve abriu ao público
Entusiastas de esqui se divertem no Resort do Lago Songhua em Jilin
Paisagem de inverno na montanha Tianmen, Zhangjiajie, província de Hunan
Festa de gala em celebração ao retorno de Macau

Notícias

Relação China-Rússia entrou na nova era em 2019
Comentário: É assim que nasceu a grande mentira sobre Xinjiang!
Diplomacia chinesa de 2019: China com maior abertura dá boas-vindas ao mundo
Cinturão e Rota abre novo espaço para o crescimento econômico mundial
Círculo de amigos da China foi ampliado em 2019
Mais alto órgão legislativo da China revisa uma série de relatórios