Web  portuguese.cri.cn  
Ele levou dez anos para concluir um livro sobre Buenos Aires - história do ilustrador argentino, Diego Bianchi
  2016-08-17 10:41:25  cri

Diego Bianchi é um ilustrador argentino que mora atualmente em Buenos Aires, capital da Argentina. Nos olhos deste artista, a cidade, conhecida também como "Paris na América do Sul", tem uma paisagem diferente.

Nos tempos livres, Diego gosta de passear pelas ruas, mas não para relaxar ou apreciar paisagens, mas para encontrar materiais para as suas obras. Os papeizinhos, envoltórios de doces, faturas de supermercado…tudo isso pode ser utilizado por Diago como materiais para o seu livro ilustrado.

Ele começou esse hábito há dez anos. Depois do processo de desinfecção, essas coisas encontradas na rua serão usadas no livro ilustrado de Diego.

Ao entrar no estúdio de Diego, pode ver que mais de vinte cadernos estão bem preservados nas prateleiras de livros. Não há nada de anormal observando pela aparência: cadernos simples, cada um tem cerca de 200 páginas. Mas quando você abre, vai descobrir muitas surpresas dentro. Todas as páginas têm algo encontrado na rua, como a gente já diz, envoltórios de doces e borrachas, faturas de supermercados e papeizinhos do banco com números.

Diego grudou esses materiais nas páginas desses cadernos com alguns desenhos interessantes que ele pintou. Cada página é uma obra artística engraçada. Como por exemplo, ele vai grudar o rótulo de vinho e pintar ao lado uma garrafa de vinho, acrescentando uma gota da água com rosto sorridente ao lado da garrafa.

Desde 1998, Diego tem tomado esse modelo para criar as suas obras. Em 2001, a Casa de Publicação "Midia Vaca" estava planejando publicar uma série de livros sobre as famosas cidades do mundo. Eles querem escolher cidades para cada letra alfabética. O editor desta casa de publicação, Vicente Ferrer, teve a oportunidade de ver os cadernos de Diego Bianchi, e ele acha que seria uma ótima ideia publicar um livro sobre Buenos Aires dessa maneira – adesivos com desenhos ilustrados.

Vicente enviou o convite a Diego para se integrar deste projeto. Mas Diego não começou logo após concordar. Porque ele percebeu que fazer um livro real é algo diferente do seu antigo trabalho. O que ele fez foi um trabalho ao acaso, pois ele não sabe o que vai encontrar na rua. Eles não têm um tema determinado, nem uma época determinada. Então, a sua obra é mais adequada para entretenimento e não para conhecer uma cidade de forma meio séria. Então, ele começou fazer o livro por coletar os materiais desta cidade com categorias determinadas.

Após consultar com a casa de publicação, Diego decidiu finalmente criar um banco de materiais para Buenos Aires como o primeiro passo deste trabalho.

A partir de 2003, Diego tem utilizado dois dias por semana para coletar os materiais. Ele foi às ruelas, aos restaurantes e bares, até às regiões remotas, para encontrar tudo qualificado para refletir a cidade. Três anos depois, ele concluiu a tarefa e conseguiu estabelecer um banco de materiais relativamente abrangente.

A segunda fase é classificar esses materiais. Para facilitar a utilização, ele preservou os materiais em categorias diferentes como "letras", "arquitectura", "gastronomia", "rótulo", etc.

Ele estabeleceu finalmente 27 categorias segundo a ordem alfabética do idioma espanhol. Como por exemplo, ele utilizou "ñoquis" para apresentar comidas, porque ñoquis é um tipo de comida muito comum na Argentina. Também a palavra "Teatrito" representa as atividades culturas em Buenos Aires.

Além dos desenhos ilustrados, Diego escolheu também alguns artigos ou poemas para que os leitores conheçam melhor a cidade através das obras clássicas da literatura. Às vezes, ele vai colocar algum slogan de publicidade mais conhecido na cidade. Os leitores, mesmo que não conheçam Buenos Aires, podem sentir a cidade através desses artigos e desenhos.

No total, Diego pintou 60 desenhos ilustrados para o livro, cada um reflete caratarísticas únicas da cidade. Em 2012, Diego concluiu o desenho do livro e o entregou à casa de publicação. Após um processo de desenho e impressão, o livro ilustrado foi lançado oficialmente em Buenos Aires em 2014.

Esse ilustrador utilizou dez anos para concluir um livro bem delicado sobre Buenos Aires. Atualmente, os leitores podem encontrar o livro em quase todas as livrarias da capital argentina.

 Imprimir  Comentar  Envie para um amigo
Leia mais
Comentário

v Estudantes mostram habilidades de balé durante apresentação conjunta em Beijing

v Cenário do Templo Taoista de Jiutai em Shaanxi no noroeste da China
mais>>
Aviso Vídeo
Para conhecer a fundo o Fórum do Cinturão e Rota para Cooperação Internacional, só na Rádio Internacional da China.

Cobertura completa em todas as mídias e em 65 idiomas, transmissão ao vivo em chinês, inglês e russo, notícias em tempo real nas novas mídias para 29 idiomas, reportagens especiais para internet, em 39 idiomas, além das reportagens cooperativas com 130 rádios no exterior.

Fortalecer cooperações internacionais, construir em conjunto "Um Cinturão e Uma Rota", procurar o desenvolvimento de ganhos mútuos.

Ranking dos textos mais lidos
• Sala de Visitas: A intérprete Raquel Martins conta sua trajetória na China e diz que o chinês é sua primeira língua, mas considera o português sua língua materna (Parte I)
• Bate-papo com vencedora na categoria Melhor Estudante do 3º ano do Prêmio Tomás Pereira 2017
• Estrela
• Conheça a culinária dos países ao longo de "Um Cinturão e Uma Rota"
• Sala de Visitas: O treinador de futebol Pedro Martins, o Pedrinho, numa conversa descontraída sobre o esporte e a paixão dos pequenos chineses pelo mundo da bola
• Freedom
mais>>
Galeria de fotos

Tapete vermelho do Festival Internacional de Cinema de Cannes

Mercado noturno em Xinjiang no noroeste da China

Kára McCullough, nova Miss Estados Unidos 2017

Caverna da dinastia Wei é atração turística em Hualai, província de Hebei
mais>>

• Fanzine Nº6, 2016

• Fanzine Nº5, 2016
mais>>
© China Radio International.CRI. All Rights Reserved.
16A Shijingshan Road, Beijing, China. 100040