Web  portuguese.cri.cn  
Uso de pesticida registra crescimento zero na China em 2016
  2017-03-07 19:38:13  cri

A China conseguiu, pela primeira vez, crescimento zero no uso de pesticida em 2016, disse hoje (7) o ministro da Agricultura, Han Changfu, na entrevista coletiva regular da Assembleia Popular Nacional da China.

Nos últimos anos, a agricultura do país tem registrado um desenvolvimento sustentável. No entanto, enfrentou, alguns desafios, como queima de palha, emissão de excrementos e uso excessivo de fertilizantes químicos e pesticidas, ações que prejudicam o meio ambiente nas zonas rurais. O Ministério da Agricultura chinês tem elaborado um planejamento geral sobre a melhoria do meio ambiente no campo. Em 2015, as autoridades chinesas iniciaram uma campanha de proteção ambiental, exigindo o controle no uso da água agrícola, redução do uso de fertilizantes químicos e pesticidas, bem como tratamento adequado de palha e excrementos de aves e rebanhos. Segundo Han, as medidas registraram um resultado satisfatório.

"Em 2016, pela primeira vez, o uso de pesticida na China parou de crescer, enquanto o uso de fertilizantes químicos permaneceu praticamente estável. Esses números estavam em constante crescimento nos últimos anos. Em algumas províncias, o índice já é zero, sem nenhum aumento. Por outro lado, a taxa de reutilização de excrementos de aves e rebanhos aumentou, de 50% em 2012 para até 60% no ano passado."

Han Changfu disse que o desenvolvimento verde será a prioridade dos futuros trabalhos, que destaca de forma igual a proteção de recursos e a gestão de resíduos. A meta é que, em 2020, nas principais zonas de produção de frutas, hortaliças e folhas de chá, o uso de fertilizantes químicos seja reduzido pela metade.

Ainda segundo o ministro, a questão fundiária é o principal aspecto da reforma rural na China. A transferência de terra, disse ele, é o caminho certo para a modernização agrícola.

"Estamos fazendo um registro da terra contraída pelos agricultores. Vamos saber os detalhes exatos de cada agricultor, como e onde está a terra, quantas áreas ele possui, qual é a capacidade produtiva, entre outros itens. Após fazer o registro, o agricultor terá um certificado, que será uma proteção aos seus interesses."

Em 2016, a produção de alimentos da China sofreu uma redução de 5,2 bilhões de quilos em comparação com o ano anterior, primeira retração após 12 anos de crescimento constante. Han disse que, apesar da redução, a produção ainda foi abundante. Na realidade, a redução representa exatamente o resultado previsto pelos reajustes do governo.

"A China registrou aumento na produção e na importação de milho nos últimos anos. Por isso, o estoque estava em um nível relativamente alto, gerando excesso de oferta. No ano passado, o país iniciou uma reforma sobre o estoque de milho para resolver a questão. As políticas no setor de produção de grãos, que têm sido aplicadas há oito anos, sofreram uma mudança. A reforma registrou progressos notáveis, revitalizou o mercado, aumentou a competitividade, e, por consequência, a área de plantação de milho no ano passado foi reduzida em cerca de 2 milhões de hectares."

Han acrescentou que o Ministério de Agricultura da China vai se esforçar ainda mais para implementar a estratégia nacional para garantir a segurança alimentar.

Tradução: Li Jinchuan

Revisão: Rafael Fontana

 Imprimir  Comentar  Envie para um amigo
Leia mais
Comentário

v Artista recria obras de arte e fotos de famosas com cachorro quente

v Um bar inspirado em "Game of Thrones" é inaugurado em Washington
mais>>
Aviso Vídeo
Para conhecer a fundo o Fórum do Cinturão e Rota para Cooperação Internacional, só na Rádio Internacional da China.

Cobertura completa em todas as mídias e em 65 idiomas, transmissão ao vivo em chinês, inglês e russo, notícias em tempo real nas novas mídias para 29 idiomas, reportagens especiais para internet, em 39 idiomas, além das reportagens cooperativas com 130 rádios no exterior.

Fortalecer cooperações internacionais, construir em conjunto "Um Cinturão e Uma Rota", procurar o desenvolvimento de ganhos mútuos.

Ranking dos textos mais lidos
• Entrevista com pianista portuguesa Marta Menezes
• Sala de visitas: Sergio Moreira Lima fala sobre a importância histórica da diplomacia brasileira na América do Sul e no mundo (Parte II)
• Entrevista com secretário de Relações Internacionais do Ministério da Agricultura brasileiro
• Conheça os tipos e benefícios de oleaginosas
• Fórum Internacional do Ensino de Português reúne especialistas em Beijing
• Sala de visitas: As relações Brasil-China e o BRICS sob a análise do presidente da Fundação Alexandre Gusmão, Sergio Eduardo Moreira Lima (Parte I)
mais>>
Galeria de fotos

Vista panorâmica de terras agrícolas e aldeias em Guizhou

Navios da Marinha chinesa em alto mar

A pintura de fios dourados com esmalte cerâmico é um artesanato tradicional chinesa

Festival da Lagosta em Los Angeles
mais>>

• Fanzine Nº2, 2017

• Fanzine Nº1, 2017
mais>>
© China Radio International.CRI. All Rights Reserved.
16A Shijingshan Road, Beijing, China. 100040