Marcos Pires sugere prudência e mais consistência do Brics ante tensões mundiais

Fonte: CRI Published: 2022-06-22 10:04:38
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

O mundo está esperando para ver como os países do Brics vão se coordenar e dar uma voz diferenciada diante do atual cenário mundial com conflito na Ucrânia, bloqueio à economia russa, ampliação da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e a continuidade da pandemia. Sob esse olhar ansioso, o especialista brasileiro em política internacional, Marcos Cordeiro Pires, sugeriu uma postura prudente dos cinco países emergentes perante as tradicionais alianças de governança global, mas destacou o bom momento para os membros compreender as limitações e interesses um do outro e ganhar mais a consistência.

Para a 14ª cúpula do Brics agendada para dias 23 e 24 deste mês, o professor da Universidade Estadual Paulista prevê que o grupo terá paciência para não fomentar confrontos diretamente com o “mundo ocidental” liderado pelos Estados Unidos. “Uma expressão chinesa diz que não se pode puxar uma planta para que ela cresça mais rápido”, mencionou Marcos Pires, comentando que a conjuntura complexa pode criar oportunidades para Brics construir paulatinamente o caminho multilateral.

Falando da expectativa do encontro dos presidentes do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, o acadêmico indicou cinco pontos prioritários que podem ser abordados: 1) reafirmação da importância do multilateralismo; 2) confiança nas instituições internacionais, especialmente o reforço do trabalho da Organização Mundial do Comércio paralisado por Washington; 3) aprofundamento da cooperação no âmbito do Novo Banco de Desenvolvimento (NDB, na sigla em inglês), diminuindo impacto da punição arbitraria do sistema financeiro internacional; 4) viabilidade de transações nas moedas dos membros do grupo e garantia de reservas seguras; 5) aumento de trocas interpessoais e culturais, fazendo o mecanismo mais presente no dia-a-ainda das pessoas.

Com a China na presidência rotativa, a cúpula desta edição visa “promover parcerias de alta qualidade e inaugurar uma nova era para o desenvolvimento global”, convidando a participação dos países como Argentina, Arábia Saudita, Egito, Turquia, Tailândia e Gana. Neste aspecto, Marcos Pires é favorável ao “Brics plus”, salientando que é importante construir um maior espaço de cooperação e entendimento entre países em desenvolvimento, baseado em uma institucionalização internacional mais inclusiva.

Crítico do pensamento de soma-zero nas relações internacionais, Marcos Pires acordou que “muitas questões que necessitam colaborar com os Estados Unidos, devem também colaborar com a China e a Rússia”, isso sem falar que os desafios da humanidade e ameaças à segurança global jamais são tradicionais, exigindo cada dia mais a solidariedade de todo o mundo. Ele citou as iniciativas de desenvolvimento global e de segurança global, formulado recentemente pelo presidente chinês, Xi Jinping, para os países trabalharem juntos na realização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e da segurança comum.

Benefícios ao Brasil? O professor da UNESP lembrou que a participação no Brics já enfatiza o prestigio internacional do Brasil e potencializa seu papel como representante da América do Sul. Além disso, o mecanismo tem garantido um relacionamento especial com a China, apesar de divergências e ruídos de comunicação entre Brasília e Beijing. Além disso, propicia diálogos de alto nível do Brasil com os outros países do grupo.

Na entrevista ao Grupo de Mídia da China, Marcos Pires compartilhou ainda observações sobre o desenvolvimento da China e seu futuro caminho para prosperidade comum, além de explicar o que é o ganha-ganha defendido pelos chineses nas cooperações internacionais. Confira!

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Macarrões que despertam a apetite na temporada de calor
Lago derrete no topo de uma montanha em Jilin
Mercado do estilo milênio atrás é aberta em Changsha
Festival de Turismo de Kuqa atrai visitantes
Estudantes em Shenyang aprendem bordado tradicional
Mestre de pipa em Xi'an cria guerreiro gigante

Notícias

Porta-voz da chancelaria chinesa destaca avanços dos direitos humanos no país
Influenciadores de seis países começam turnê pela cidade chinesa de Xi’an
Cúpula em Qingdao assina contratos de investimentos estrangeiros em 99 programas
Festival de Documentários Chineses é aberto em Beijing
Hong Kong será melhor integrado no desenvolvimento do país
Mais de vinte embaixadores se reúnem em Beijing para discutir recuperação global