Internações e mortes pela COVID-19 podem aumentar com tempo mais frio, diz OMS
Fonte: Xinhua Published: 2022-09-01 15:13:56

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou nesta quarta-feira que, apesar da tendência atual de queda nos novos casos de COVID-19, mais internações e mortes são esperadas nos próximos meses à medida que o tempo mais frio se aproxima.

Apesar de um "declínio bem-vindo nas mortes (pela COVID-19) relatadas globalmente ..., com o clima mais frio se aproximando no hemisfério norte, é razoável esperar um aumento das hospitalizações e mortes nos próximos meses", disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, a jornalistas nesta quarta-feira.

De acordo com a última Atualização Epidemiológica Semanal de COVID-19 da OMS, o número de novos casos semanais diminuiu 9%, para cerca de 5,3 milhões durante a semana de 15 a 21 de agosto, em comparação com a semana anterior. O número de novas mortes semanais também diminuiu 15% em relação à semana anterior, com mais de 14 mil mortes relatadas.

O chefe da OMS disse que as atuais subvariantes da Ômicron são mais transmissíveis do que suas predecessoras, e o risco do surgimento de variantes ainda mais transmissíveis e mais perigosas permanece. Ainda assim, a cobertura vacinal entre as pessoas de maior risco permanece muito baixa, especialmente em países de baixa renda.

"Mesmo em países de alta renda, 30% dos trabalhadores da saúde e 20% dos idosos permanecem não vacinados. Essas lacunas na vacinação representam um risco para todos nós. Portanto, por favor, vacine-se se você ainda não tiver recebido as doses, e garanta um reforço se for recomendado que tenha um", disse Tedros, recomendando que as pessoas usem máscaras em espaços fechados lotados.

"Viver com a COVID-19 não significa fingir que a pandemia acabou". Da mesma forma, fingir que um vírus mortal não está circulando é um enorme risco. Viver com a COVID-19 significa tomar as simples precauções para evitar ser infectado, ou se você estiver infectado, de ficar gravemente doente ou morrer", disse ele, pedindo a todos os governos que atualizem suas políticas para fazer o melhor uso das ferramentas que salvam vidas que existem para gerenciar a COVID-19 de forma responsável.