Comentário: o “primeiro lugar” sem limite

Published: 2021-07-15 19:19:24
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

No ranking divulgado recentemente pela agência de Blooberg, os EUA ficam em primeiro lugar nos esforços de combate à pandemia da Covid-19. A verdade é que o país tem liderado o mundo na pandemia, mas em outros indicadores, como: o número de infectados, que já somam 33,9 milhões, e o número de óbitos, que superou 607 mil até esta quarta-feira (14).

A situação descontrolada quebrou os “milagres” dos EUA, de ser o país mais saudável do mundo, respeitaros direitos humanos, manter a maior taxa de vacinação, liderar a recuperação econômica mundial e lutar contra a crise sanitária global...

A Blooberg esgotou todos os esforços para colocar os EUA no topo do ranking. O resultado, no entanto, está longe da realidade e só serve para deixar a entidade em situação frágil perante a a credibilidade pública.

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Exposição do coletivo japonês TeamLab em Tóquio
Cantinas oferecem almoço gratuitos a idosos
Vista de campo de arroz em Jiangxi
Paisagem noturna de cidade de Ya'an
Pessoas experimentam a escavação de “tesouros antigos” em um centro comercial
Pessoas se refrescam durante termo solar "Xiaoshu"

Notícias

Visão: o maior feito da história humana
Associações sociais da China desvendam hipocrisia dos ocidentais sobre direitos humanos
EUA: manipulador de opinião pública e instigador de ódio
Comentário: o “primeiro lugar” sem limite
Mais de 90 países prometem apoio à posição chinesa em Conselho de Direitos Humanos da ONU
Visão: Qual o papel do “ranking da Bloomberg” na pandemia?