Bolsonaro agradece governo chinês por exportar insumos de vacinas para Brasil

Published: 2021-01-27 12:03:35
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, publicou no dia 25 dois posts na sua conta de Twitter, agradecendo a parte chinesa por exportar insumos para a produção de vacinas no Brasil.

“Embaixada da China nos informou, pela manhã, que a exportação dos 5400L de insumos para a vacina Coronavac, aprovada e já estão em vias de envio ao Brasil, chegando nos próximos dias”, escreveu Bolsonaro.

No outro tweet, ele agradeceu a sensibilidade do governo chinês e o empenho dos ministros brasileiros concernentes.

Estes insumos podem produzir 8,5 milhões de vacinas no Brasil.

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, e a ministra da Agricultura do país, Tereza Cristina, compartilharam as palavras de Bolsonaro. Araújo enalteceu dizendo que isso mostra que as relações entre os dois países são muito construtivas.

O embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, também compartilhou o tweet de Bolsonaro, escrevendo: A China está junto com o Brasil na luta contra a pandemia e continuará a ajudar o Brasil neste combate dentro do seu alcance. A União e a solidariedade são os caminhos corretos para vencer a pandemia.

Tradução: Luís Zhao

Revisão: Diego Goulart

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Novo aeroporto de Chengdu conclui primeiro voo de teste
Luzes anunciam a chegada do próximo Festival da Primavera em Chongqing
Antiga cidade de huanglongxi em Chengdu
Uma exposição de "Sobremesas da Dinastia Tang" foi realizada em Xi'an
Surfista brasileiro surfa em enchente de rio
Ponte de suspensão Aizhai

Notícias

Cuidar da saúde ou da economia? A China apontou o caminho
Bolsonaro agradece governo chinês por exportar insumos de vacinas para Brasil
Chancelaria chinesa: China terá ligação mais próxima com a economia global
Província chinesa de Yunnan tira 442,2 mil pessoas da pobreza em 2020
China conta com mais de 600 mil estações base 5G
Xi Jinping discursa na reunião da Agenda de Davos do Fórum Econômico Mundial