Comentário: Será difícil para os EUA recuperarem relações com a Europa

Published: 2020-11-26 20:02:11
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

A Administração de Serviços Gerais dos Estados Unidos declarou no dia 24 que o democrata Joe Biden é o aparente vencedor nas eleições presidenciais de 2020. No mesmo dia, Biden telefonou a líderes da União Europeia e da OTAN, manifestando a vontade de recuperar e aprofundar a parceria transatlântica.

No entanto, não será fácil para os EUA recuperarem o relacionamento com a Europa de forma tão confiável como antes devido às divergências entre os dois lados nos últimos anos, especialmente à espionagem norte-americana contra o Velho Continente.

A imprensa da Dinamarca revelou que entre 2015 e 2016 o país estava planejando comprar novos caças. A Agência de Segurança Nacional dos EUA aproveitou uma parceria especial de cooperação de inteligência para espionar importantes departamentos governamentais e empresas militares dinamarquesas. No final, a empresa norte-americana, Lockheed Martin Corporation, venceu a licitação.

Isso é apenas um exemplo de que os EUA procuram seus próprios interesses aproveitando a confiança de seus aliados. O jornalista Glenn Greenwald participou das reportagens do caso de Edward Snowden e disse que os EUA espionaram desde negociações sobre acordos econômicos, a Organização dos Estados Americanos, empresas petrolíferas, departamentos de energias, líderes de seus aliados até todos os cidadãos destes países.

A hegemonia e a arrogância dos EUA já decepcionaram seus aliados, e nos últimos anos, Washington insiste no unilateralismo e protecionismo. Os europeus já estão bem prudentes sobre as relações com o outro lado do Atlântico. O jornal alemão Sueddeutsche Zeitung comentou que, embora os EUA tenham mudado de presidente, as relações com a Europa não voltarão aos momentos felizes do passado. O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, fez uma previsão de que o novo líder norte-americano continuará pressionando a OTAN, especialmente nas despesas militares. O ministro francês das Relações Exteriores, Jean-Yves Le Drian, também acha que a Europa precisa de mais independência na atual situação internacional.

Por fim, a pandemia ainda está abalando os EUA. Isso será a questão mais importante e urgente para o novo governo norte-americano lidar. Por isso, Joe Biden talvez não tenha energia suficiente para melhorar as relações com a Europa.

Tradução: Luís Zhao

Revisão: Erasto Santos Cruz

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Alunos experimentam teatro de sombras em escola primária de Hebei
Aves selvagens em aldeia de Fujian
Um estacionamento de 15 andares em espiral em Chongqing
Paisagem outonal de uma floresta de sequoias em Ningguo, província de Anhui
Aves migratórias chegam em Yunnan para passar o inverno
Curso gratuito é oferecido para mulheres em cidade de Chishui

Notícias

Comentário: Será difícil para os EUA recuperarem relações com a Europa
Acidente entre ônibus e carreta deixa 41 mortos em São Paulo
Chang'e-5 completa segunda correção de órbita
Morte repentina de Maradona emociona mundo afora
​Comentário: Acordo de Investimento China-UE está no momento oportuno
China e Rússia realizam videoconferência para avançar cooperação energética