Comentário: Começo da construção da maior zona de livre comércio do mundo é grande vitória do multilateralismo

Published: 2020-11-15 19:55:31
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

Após 8 anos de 28 rodadas de negociações formais, a cerimônia de assinatura do acordo da Parceria Econômica Regional Abrangente (RCEP) foi concluída hoje (15) por vídeo, o que marca o começo oficial da construção de uma zona de livre comércio com a maior população e o maior potencial de desenvolvimento do mundo, além de demonstrar a forte disposição dos países em apoiar o multilateralismo e o livre comércio.

Em comparação com outros acordos de livre comércio, a RCEP é mais inclusiva e cobre todos os aspectos da liberalização e facilitação do comércio e do investimento. Ao mesmo tempo, o acordo atende às necessidades da era da economia digital, como a inclusão de capítulos sobre direitos de propriedade intelectual e comércio eletrônico, bem como a adoção de uma lista negativa. O acordo é um pacto de alta qualidade. Por exemplo, o número total de produtos com tarifa zero no comércio de mercadorias é superior a 90%. Em particular, as relações de livre comércio recentemente adicionadas entre a China e o Japão e entre o Japão e a Coreia do Sul aumentam significativamente o grau de livre comércio na região.

Vale mencionar que, levando em consideração os diferentes níveis de desenvolvimento econômico e social dos países-membros, a RCEP incorpora regulamentações sobre cooperação econômica e tecnológica, e permite um período de transição para os países relevantes, dando tratamento diferenciado aos países menos desenvolvidos. Alguns analistas afirmam que a influência da RECP deverá atingir o nível da Área de Livre Comércio da América do Norte e da União Aduaneira da UE.

De acordo com as estatísticas, a população total, o volume econômico e o volume de comércio dos 15 países-membros da RCEP representam cerca de 30% das somas globais.

O mais recente "World Economic Outlook Report" divulgado pelo Fundo Monetário Internacional em meados de outubro prevê uma contração da economia global em 4,4% em 2020. Nesse contexto, a assinatura do acordo da RCEP aumenta muito a confiança global no desenvolvimento econômico e no multilateralismo. Como o primeiro-ministro de Singapura, Lee Hsien Loong, disse, a assinatura do acordo é um grande passo à frente para o mundo em um momento em que o multilateralismo está sendo afetado e o crescimento econômico global está desacelerando.

Ao mesmo tempo, os países-membros da RCEP incluem não apenas países mais desenvolvidos, como o Japão, Coreia do Sul, Austrália e Nova Zelândia, mas também a China e os países da ASEAN com uma boa tendência de crescimento econômico. Regras econômicas e comerciais unificadas e um ambiente de negócios multinacional conveniente certamente promoverão a profunda integração das cadeias industriais e de suprimentos dos países.

Com a assinatura do acordo, a China cumpre o compromisso de uma abertura ao exteiror constante e compartilhará mais dividendos de desenvolvimento com o resto do mundo.

Tradução: André Hu

Revisão: Erasto Santo Cruz



Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Jovens participam de jogos divertidos em Neijiang, província de Sichuan
Artista vietnamita cria réplicas em miniatura de pratos tradicionais
Parque Nacional do Lago Aha em Guiyang
Moradores de Rongjiang colhem laranjas de umbigo
O maior elevador do mundo
Trem suspenso de monotrilho realizou a condução não tripulada na linha de teste

Notícias

Comentário: O que está por trás da suspensão do ensaio clínico da Coronavac no Brasil?
As preocupações de Xi Jinping durante a inspeção de Jiangsu
China não poupa esforços para desenvolvimento de vacina da COVID-19
Xi Jinping inspeciona cidade de Nantong
Xi Jinping elogia industrial modelo da China
Comentário: abertura institucional de alto nível de Pudong