​Comentário: Políticos estadunidenses, não sejam pecadores que traem a história!

Published: 2020-09-02 20:26:57
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

Amanhã, dia 3 de setembro, marca o 75º aniversário das vitórias da Guerra de Resistência do Povo Chinês contra a Agressão Japonesa e da Guerra Mundial Antifascista. O povo chinês conseguiu essa vitória ao custo de 14 anos de guerra árdua e 35 milhões de mortes e feridos, contribuindo com seu grande esforço à vitória final da Guerra Mundial Antifascista. Uma retrospectiva ao passado orienta nosso caminho rumo ao futuro. A humanidade não quer mais sofrer com guerras, e a paz e o desenvolvimento já se tornaram uma tendência mundial.

Entretanto, os atos de alguns políticos estadunidenses preocupam o mundo inteiro. Eles têm agido contra a tendência do nosso tempo e incitaram publicamente uma “nova Guerra Fria”.

A história não se repete, mas há semelhanças. Setenta e cinco anos depois do fim da Segunda Guerra Mundial, uma pandemia devastadora impactou o mundo inteiro. Muitos veículos de imprensa disseram que estamos passando pelo momento mais crítico desde a Segunda Guerra Mundial. Como podemos passar por essas dificuldades? Talvez possamos encontrar soluções na história. O consultor do Centro de Inovação Michigan-China, Tom Watkins, disse que perante a pandemia, o inimigo comum de toda a humanidade, a comunidade internacional deve pôr fim às brigas e acusações, o que foi feito durante a Guerra Antifascista, para lidar em conjunto com essa crise.

Mas infelizmente, nos EUA, um país aliado na Segunda Guerra Mundial, alguns políticos parecem sofrer de "amnésia" histórica. Eles traíram o legado da Guerra Antifascista e foram condenados pela comunidade internacional.

Esses políticos representados por Mike Pompeo abandonaram a união e a cooperação, que são as riquezas espirituais mais valiosas da Guerra Antifascista. Além disso, eles incitaram iniciar uma “nova Guerra Fria” direcionada à China, contrariando a tendência da era.

O mundo atual está passando por transformações sem precedentes no último século. As divergências entre a China e os EUA, na verdade, residem no multilateralismo ou unilateralismo, na cooperação de benefício mútuo ou jogo de soma zero. Alguns políticos de Washington colocaram seus interesses privados acima dos interesses comuns da comunidade internacional e iniciaram, publicamente, confrontações e conflitos, atos que representam uma traição e serão punidos pela história.

Tradução: Xia Ren

Revisão: Gabriela Nascimento

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Paisagem do lago Baihua em Guiyang
O outono pode ser considerado a melhor estação para viajar de carro
Fotógrafo transforma alimentos em obras de arte
Festival de Turismo de Shambhala, em Gansu
Pessoas aproveitam o tempo de lazer em um parque de Beijing
Alunos voltam à escola no início do novo semestre em Beijing

Notícias

Exportações da China saltam com reabertura econômica, diz mídia dos EUA
Embaixadores da China e da Rússia publicam em conjunto um artigo comemorando 75 anos da vitória na Segunda Guerra Mundial
Destaques nas exposições da Feira Internacional de Comércio de Serviços da China
Vida próspera da aldeia Xinglong
Lei de imposto sobre recursos da China entra em vigor
Zhejiang registra recorde de entrega de 10 bilhões de pacotes em 8 meses