Pensamento de Guerra Fria de Mike Pompeo é uma grande ameaça para paz mundial

Published: 2020-07-27 17:08:42
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, fez no dia 23 um discurso que propagou a teoria de “ameaça da China”, na Biblioteca e Museu Presidencial Richard Nixon, Yorba Linda, Califórnia. Ele negou todos os resultados da política de contatos com a China nos últimos 50 anos, e estimulou seus aliados a tomar medidas mais radicais para mudar o país asiático.

Este discurso mostrou plenamente o pensamento de Guerra Fria de Mike Pompeo, que é de fato a verdadeira ameaça para a paz mundial. O político escolheu a terra natal do ex-presidente norte-americano, Richard Nixon, e também usou muitas de suas palavras para tentar provar que sua ideia é correta. Mas o jornal norte-americano The Washington Post publicou no dia 26 um artigo de Richard Haass, presidente do Conselho de Relações Exteriores dos EUA, criticando que Pompeo não sabe história, não entende a China e até não conhece os EUA. Segundo o artigo, o objetivo do ex-presidente Nixon e do ex-secretário de Estado Henry Kissinger para contatar a China é confrontar a ex-União Soviética, mas não mudar a China, nem interferir nos seus assuntos internos.

Para Mike Pompeo, o atual diplomata-chefe dos EUA, o mundo está completamente distorcido e a China que é diferente de seu sistema e civilização, mas continua se desenvolvendo e progredindo, tornou-se um "bode expiatório" para quase todos os principais problemas da sociedade estadunidense. Ele duvidou de todas a comunicações e cooperações normais entre a China e os EUA e acha que a China tirou muito vantagem disso.

No entanto, o fato é que a China quer a paz e não a hegemonia, é uma oportunidade em vez de uma ameaça e é uma parceira ao contrário de uma adversária. Os interesses da China e do mundo já são estreitamente interligados. O mundo não tem como voltar à situação da época da Guerra Fria em que dois campos estavam claramente divididos.

As experiências da história mostram que é muito importante que a China e os EUA mantêm contatos e controlam as divergências. Após o ataque terrorista de 11 de setembro de 2001, os dois países fortaleceram cooperações na luta antiterrorista e na segurança. Depois da crise financeira de 2008, as duas partes começaram a prestar atenção à coordenação das políticas econômicas. Perante a pandemia, a China e os EUA devem reforçar a união e a cooperação. O governador do Estado da Califórnia, Gavin Newsom, declarou mais uma encomenda de 420 milhões de máscaras da empresa chinesa BYD, com a qual já comprou 500 milhões.

A conduta de Mike Pompeo sofreu críticas da sociedade norte-americana e do mundo inteiro. O Bloomberg comentou que Pompeo ignorou os benefícios das cooperações sino-norte-americanas nos últimos 50 anos. A NBC publicou um artigo, dizendo que um ambiente de confronto e instabilidade não é bom para ninguém.

No dia 25, acadêmicos e ativistas de 48 países realizaram uma videoconferência com o tema principal abordando que qualquer nova guerra fria contra a China é uma violação aos interesses de toda a humanidade. Eles publicaram uma declaração conjunta em 14 idiomas para recusar a nova guerra fria.

Tradução: Luís Zhao

Revisão: Diego Goulart

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Shantou: uma cidade diversa, rica em história
Xiamen, um jardim sobre o mar
Belo dia de sol em Beijing
Shenzhen: uma cidade moderna, energética, internacionalizada e de moda
Idosos praticam aeróbica tradicional no parque Templo do Céu em Beijing
Próspera indústria de plantação de pêras em Xinjiang

Notícias

Emissão de títulos da China chega a US$ 680 bilhões em julho
Aldeia na região montanhosa de Chongqing está mais acessível e tecnológica
72% dos ingressos do Festival Internacional de Cinema de Beijing são vendidos em 10 minutos
​Começa construção do CMG Copyright Trade Center em Shanghai
Xi Jinping: PCCh sempre terá sucesso se governar para o povo
Mianmar inicia 4ª reunião da Conferência de Paz de Panglong do Século 21