Maioria dos primeiros casos de COVID-19 em Nova York remontam à Europa

Fonte: Xinhua Published: 2020-07-17 17:22:40
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

As sequências da maioria das primeiras amostras positivas para SARS-CoV-2 na cidade de Nova York se assemelhavam àquelas que circulam na Europa, sugerindo prováveis introduções do vírus desde a Europa, de outros locais nos EUA e das introduções locais de Nova York, de acordo com um novo relatório dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA na quinta-feira.

Para determinar se a transmissão local do SARS-CoV-2 poderia ser detectada, o Departamento de Saúde e Higiene Mental (DOHMH) de Nova York conduziu uma vigilância sentinela deidentificada em seis departamentos de emergência hospitalar durante os dias 1 a 20 de março.

O DOHMH anunciou a transmissão comunitária sustentada da COVID-19 em 8 de março, antes que os Estados Unidos impusessem a proibição de viagens da Europa em 13 de março, de acordo com o relaório. Nessa ocasião, 26 residentes de Nova York haviam confirmado a COVID-19.

Na semana seguinte, em 15 de março, quando apenas sete dos 56 pacientes com históricos de exposição conhecidos tinham exposição fora de Nova York, o nível de transmissão comunitária do SARS-CoV-2 foi elevado da transmissão comunitária sustentada para a transmissão comunitária ampla, disse o CDC.

"Embora as restrições de viagem sejam uma importante estratégia de mitigação, quando as restrições em relação a Europa foram implementadas, a importação e transmissão comunitária do SARS-CoV-2 já haviam ocorrido em Nova York", disse o relatório.

Por meio da vigilância sentinela de 1 a 20 de março, o DOHMH coletou 544 amostras de pacientes com sintomas semelhantes à gripe, 36 com resultado positivo.

"Usando o sequenciamento genético, o CDC determinou que as sequências da maioria das amostras positivas do SARS-CoV-2 se assemelhavam às que circulam na Europa, sugerindo prováveis introduções do SARS-CoV-2 desde a Europa, de outros locais dos EUA, e introduções locais dentro de Nova York", disse o relatório.

A sequência de 2 de março, a primeira amostra positiva de sentinela coletada, se agrupou com as sequências iniciais da Europa e Estados Unidos, que também se agruparam com sequências da China, informou o CDC.

"Nenhuma sequência de sentinela foi diretamente ligada às de Wuhan, China, onde o surto se originou", afirmou o relatório.

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Vista da ponte Lugou em Beijing
Moradores evacuados e levados para abrigo temporário no distrito de Zhoutou, província de Anhui
Polícia armada participa de operações de controle de enchentes em Jiangxi
Pessoas se divertem em parque aquático de Hebei
Trabalhadores alimentaram bebês antílopes na reserva de proteção do lago Zhuonai
Jiangxi eleva a resposta às inundações ao mais alto nível

Notícias

Maioria dos primeiros casos de COVID-19 em Nova York remontam à Europa
Os dois lados do Estreito de Taiwan devem salvaguardar a soberania da China
Chanceler chinês realiza reunião com ministros das Relações Exteriores do C+C5
Identificadas pelo menos seis cepas diferentes do novo coronavírus no Brasil
RAEHK opõe-se fortemente à assinatura da "Lei de Autonomia de Hong Kong"
Huawei diz que proibição britânica pode levar Reino Unido à pista lenta digital