Comentário: Mike Pompeo, o atrapalhador do combate internacional antipandêmico

Fonte: CRI Published: 2020-06-29 20:22:48
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, criticou recentemente a China pelas “assistências vazias” à África, a fim de difamar os resultados alcançados na Cúpula Extraordinária China-África sobre Solidariedade contra o COVID-19.

Logo depois do surto da pandemia no continente africano, a China forneceu assistência de materiais médicos para 50 países africanos e à União Africana, enviou equipes de médicos especialistas para 11 países, e realizou 30 videoconferências e 400 sessões de treinamento.

Na recente Cúpula Extraordinária China-África sobre Solidariedade contra o COVID-19, o presidente chinês, Xi Jinping, reiterou a construção da Comunidade de Saúde China-África e a mais estreita Comunidade de Futuro Compartilhado China-África. Na ocasião, o líder chinês apresentou várias propostas de cooperação, incluindo o compromisso do uso da vacina no continente africano quando for desenvolvida e a isenção de empréstimos sem juros vencidos até o final deste ano no quadro do Fórum de Cooperação China-África.

As medidas demonstram o apoio e o esforço sincero da China em ajudar os países africanos no combate antipandêmico e na retomada da economia.

As medidas também representam a responsabilidade da China pela segurança da saúde pública global. Como disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, o vírus passa por além das fronteiras e o sucesso ou a derrota do combate à pandemia são definidos pelos sistemas de saúde mais fracos do mundo. Neste sentido, ajudar os países africanos também significa ajudar toda a humanidade.

Entretanto, no dicionário de Mike Pompeo, político sem-vergonha, não há solidariedade ou responsabilidade. Há somente palavras cheias da mentalidade da Guerra Fria e hegemonia, tais como preconceito ideológico, interesses geopolíticos e jogos de soma zero.

Desde o surto, Pompeo se comprometeu a dar assistência à comunidade internacional. Segundo a Associated Press, mais de 20 organizações internacionais de assistência enviaram cartas a Washington, dizendo receber muito pouco ou até nenhum material humanitário dos EUA.

Mais ironicamente, Pompeo ignorou a discriminação racial nos EUA e atacou a China pela “discriminação racial” no combate ao COVID-19. O presidente da União Africana, Moussa Faki Mahamat, comentou que nada nem ninguém pode mudar ou prejudicar a amizade entre a África e a China.

Um recado para certos políticos de Washington: vocês devem prestar mais atenção à evolução da pandemia no seu próprio país e parar de atrapalhar a cooperação internacional no combate ao COVID-19.

Tradução: Xia Ren

Revisão: Gabriela Nascimento

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Veículos de teste móveis adotados no distrito de Xicheng em Beijing
COMAC entrega aviões regionais ARJ21 às companhias aéreas
Laboratórios de teste de ácido nucleico entra em operação experimental em Beijing
Pessoas chineses abraçam o Festival do Barco do Dragão
Beijing: residentes de comunidade realizam teste de ácido nucleico
Centro cultural em Urumqi

Notícias

Panda gigante da parte continental dá à luz seu segundo filhote em Taipei
Pessoas que nos protegem
Estação Hidrelétrica Wudongde entra em funcionamento
​A vida no Lar de Idosos Guli
Presidente chinês pede esforços para prevenção e resposta às enchentes
Ocorrência do novo coronavírus é anterior ao relato oficial em diversos países