Comentário: porque Washington reprime até sua própria mídia?

Published: 2020-06-17 15:29:20
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

Um documento recém publicado pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos revelou que a Casa Branca ordenou o departamento de comunicação do CDC a recusar todas as entrevistas solicitadas pela Voice of America (VOA). Dias depois, o presidente e o vice-presidente do veículo renunciaram.

A Voice of America é considerada como a “própria filha” do governo federal dos EUA que é seu proprietário. Mas no início de abril deste ano, a agência publicou um artigo, dizendo que o isolamento de Wuhan foi uma medida eficaz tomada pelo governo chinês para controlar a epidemia. Isso causou grande raiva de “seu pai”. A Casa Branca criticou que a VOA estava fazendo propaganda para a China com dinheiro dos EUA. 

Além da VOA, NBC, CNN, New York Times e Fox News também sofreram críticas dos líderes norte-americanos em função de “falar bem da China”.

De fato, os meios de comunicação ocidentais não têm o costume de reportar tópicos bons sobre a China. Ao contrário, normalmente, eles vêem o país asiático com preconceito. O que eles reportaram sobre a China na luta contra a epidemia, foi apenas falar a verdade. A repressão do governo estadunidense contra tais veículos de comunicação mostraram claramente a hispocrisia e padrões duplos dos EUA na liberdade de expressão. Para alguns políticos norte-americanos, difamar, criticar e atribuir todas as culpas à China são reportagens de verdade, se não, são Fake News.

Além disso, Washington também aproveita as redes sociais para atacar a China. O Twitter fechou nos últimos dias 170 mil contas, afirmando que elas têm relacionamento com o governo chinês e divulgaram conteúdos geopolíticos favoráveis ao país. Uma pesquisa de uma instituição australiana mostrou que, desde o fim de março de 2020, o partido republicano e as forças direitistas dos EUA organizaram algumas contas para divulgar no Twitter a conspiração de que o novo coronavírus é uma arma biológica produzida pela China em um laboratório de Wuhan.

Especialisas e funcionários norte-americanos, que defendem opiniões opostas da Casa Branca, como a médica Heln Chu; o capitão do porta-aviões “Roosevelt”, Brett Crozier, e o  responsável de saúde do estado da Florida, Rebekah D. Jones, entre outros, também sofreram repressões e vinganças do governo estadunidense.

Oitenta anos atrás, o pesquisador britânico de relações internacionais, Edward Hallett Carr, já havia dito que os Estados Unidos são um mestre que usa a máscara bondosa para encobrir seus interesses nacionais egoístas. Agora, alguns políticos norte-americanos defendem seus próprios interesses, sem usar essa máscara.

Tradução: Luís Zhao

Revisão: Diego Goulart

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Turistas visitam cachoeira Huangguoshu em Guizhou
Pessoas doam sangue no Dia Mundial do Doador de Sangue
Cenário do parque Zishan na cidade Handan, província de Hebei
Comunidade de Suzhou oferece serviço de entrega de refeições para idosos
Cooperativa de chá ajuda famílias a superarem a pobreza em Hainan
Palácio Potala reabre ao público

Notícias

Uso de eletricidade aumenta em maio na China
China vê alta nos preços de carne suína
Casos da COVID-19 chegarão ao pico na Índia em meados de novembro, diz estudo
Comentário: Economia chinesa continua em recuperação
Estatística revela recuperação da economia chinesa em maio
Preços de suínos na China sobem no início de junho