Processo de impeachment contra governador é aberto no Rio de Janeiro

Fonte: Xinhua Published: 2020-06-11 17:16:10
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

A Assembleia do estado brasileiro do Rio de Janeiro (Alerj) abriu nesta quarta-feira um processo de impeachment contra o governador Wilson Witzel, acusado de crime de responsabilidade por supostas irregularidades na hora de distribuir recursos para enfrentar a pandemia da COVID-19.

Em uma votação virtual, 69 dos 70 deputados da Alerj votaram a favor de abrir um processo de impeachment contra Witzel, com uma abstenção.

O presidente da Alerj, André Ceciliano, já tinha rejeitado 13 pedidos de abertura de um processo para destituir o governador, mas aceitou o 14º, apresentado por dois deputados do Partido Social Democrático Brasileiro, PSDB.

O pedido em questão acusa Witzel de ter comprado respiradores para lutar contra a COVID-19 por um preço superior ao de mercado, por irregularidades na construção de hospitais de campanha e por sua ligação com um empresário detido recentemente e que teria colaborado nos desvios.

"Baseado no parecer técnico da Procuradoria, dou prosseguimento ao processo de impeachment pelo crime de responsabilidade. Como me manifestei no início (Witzel) terá direito a ampla defesa", afirmou Ceciliano.

Após a decisão, os partidos representados na Alerj deverão indicar representantes para formar uma Comissão Especial que analisará as denúncias contra o governador. Witzel terá dez sessões para apresentar sua defesa, antes da comissão emitir seu parecer sobre a admissibilidade da denúncia.

Se a denúncia for admitida, Witzel será afastado do cargo e o Tribunal de Justiça designará um tribunal misto (formado por juízes e deputados) para decidir seu afastamento definitivo do cargo.

Wilson Witzel, de 52 anos e filiado ao Partido Social Cristão (PSC), é um ex-juiz que ganhou surpreendentemente as eleições para governador do Rio de Janeiro em outubro de 2018.

Witzel era um aliado do presidente Jair Bolsonaro, mas nos últimos meses os dois começaram a trocar duras críticas publicamente, principalmente por divergências sobre a forma de lutar contra a COVID-19.

Quatro dos cinco governadores anteriores a Witzel estiveram ou ainda estão presos por corrupção durante seus mandatos.

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Shantou: uma cidade diversa, rica em história
Xiamen, um jardim sobre o mar
Belo dia de sol em Beijing
Shenzhen: uma cidade moderna, energética, internacionalizada e de moda
Idosos praticam aeróbica tradicional no parque Templo do Céu em Beijing
Próspera indústria de plantação de pêras em Xinjiang

Notícias

Emissão de títulos da China chega a US$ 680 bilhões em julho
Aldeia na região montanhosa de Chongqing está mais acessível e tecnológica
72% dos ingressos do Festival Internacional de Cinema de Beijing são vendidos em 10 minutos
​Começa construção do CMG Copyright Trade Center em Shanghai
Xi Jinping: PCCh sempre terá sucesso se governar para o povo
Mianmar inicia 4ª reunião da Conferência de Paz de Panglong do Século 21