Comentário: Políticos norte-americanos que sempre falam paradoxalmente estão realmente combatendo a pandemia?

Published: 2020-05-17 21:42:26
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

Tudo se comprova com o passar do tempo. Com revelações de mais informações a cada dia, o perfil da evolução da pandemia nos EUA vem se tornando explícito. Os fatos se sobrepuseram as mentiras e expuseram passo a passo o egoísmo, má conduta e falta de ética dos políticos norte-americanos.

O presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou nesta sexta-feira (15) que no dia 11 de janeiro, quando a maioria das pessoas ainda não sabia o que aconteceu, o país já havia começado a desenvolver vacinas. A data anunciada pelo líder dos EUA abalou a comunidade internacional.

Vale notar que o diretor do Centro para o Controle e a Prevenção de Doenças (CDC), Robert Redfield, afirmou recentemente no Congresso que o CDC entrou em contato com a China no dia 2 de janeiro para discutir sobre o COVID-19. No dia 12 de janeiro, a China compartilhou informações sobre a sequência genética do novo coronavírus.

Considerando o fuso horário, o presidente norte-americano disse que o país começou a desenvolver vacinas no dia 11 de janeiro, o que comprovou pelo menos que os EUA conseguiram informações imediatas da China. Então, por que difamaram a China por não divulgar as informações?

O presidente norte-americano, contudo, sempre afirmou que tomou conhecimento do novo coronavírus apenas no final de janeiro. Qual destas falas é verdadeira? Os políticos norte-americanos que sempre falam paradoxalmente estão realmente combatendo a pandemia?

Uma mentira precisa ser justificada por mais mentiras. Ao procurar todos os meios para culpar a China, as palavras faladas acidentalmente pelo presidente norte-americano revelam o fato de que as pessoas que escondem a situação epidêmica dos EUA são mesmo os políticos norte-americanos. Obviamente, eles se atrasaram em dois meses para declarar estado de emergência nacional. Os pobres norte-americanos estão sendo enganados até hoje pelos políticos, que só se preocupam com votos, títulos em bolsas de valores e dinheiro.

A data do início do desenvolvimento de vacinas nos EUA também acrescentou outras dúvidas sobre o confuso desenvolvimento da epidemia no país. O público tende a acreditar mais que a data do começo da pandemia nos EUA foi mais cedo do que a declarada oficialmente.

Conforme reportagens de muitos veículos de imprensa norte-americanos, 171 pessoas foram infectadas ou suspeitas de infecção pelo COVID-19 na Flórida entre janeiro e fevereiro. O caso mais cedo é de 1º de janeiro, e nenhum dos pacientes havia viajado a regiões com surto. É muito duvidoso que o governo estadual da Flórida tivesse retirado as informações dos 171 casos de seu site oficial. O que eles queriam encobrir?

Além disso, conforme reportou a CNN, a Casa Branca reforçou recentemente o controle sobre a divulgação de informações. “Especialistas renomados jamais aparecem em entrevistas de veículos nacionais.”

Perante a tragédia de 88 mil mortos devido à pandemia, os políticos norte-americanos ainda se saciam em gabar-se e criar mentiras. Com a revelação de mais informações a cada dia, vamos ver como agirão os políticos estadunidenses.

Tradução: Paula Chen

Revisão: Erasto Santo Cruz

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Oficinas de redução da pobreza fornecem empregos a residentes realocados em Guangxi
Mar de flores na província de Jiangsu
Paisagem do Monte Qomolangma
Trabalhadores de empresas de produtos culturais e criativos aumentam a produção
Zona sul da Biblioteca Nacional da China reabriu ao público
Trem de carga China-Europa envia suprimentos médicos a Belgrado

Notícias

Brasil relata mais de 230 mil casos de COVID-19
Comentário: Políticos dos EUA devem explicar seus laboratórios de pesquisas biológicas
Investimento imobiliário da China cai 3,3% nos primeiros quatro meses
Fundador do Fórum China-Europa enaltece medidas chinesas no combate à epidemia
Opinião: Covid19, realidade versus propaganda
Vice-presidente do Zimbábue aplaude trabalho dos médicos chineses no combate à epidemia no país