Comentário: EUA prejudicam liberdade da imprensa chinesa

Published: 2020-03-04 12:32:05
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

No dia 2, o Departamento de Estado norte-americano anunciou mais uma decisão para golpear cinco veículos de imprensa da China nos EUA, limitando o número de seus funcionários da nacionalidade chinesa.


Antes disso, os Estados Unidos já classificaram os profissionais de veículos de comunicação chineses no país como agentes estrangeiros e missões diplomáticas. Todas essas medidas prejudicaram gravemente a liberdade de imprensa e são plenamente opressões políticas e atividades de bullying.


A parte norte-americana disse que isso é uma contramedida à China com o princípio de reciprocidade. Mas, o fato é que o governo chinês nunca restringiu a escala da imprensa dos EUA no país. Atualmente, 29 veículos norte-americanos têm agências na China e apenas nove empresas chinesas estão nos EUA. O governo chinês concede o visto de entrada múltipla aos jornalistas norte-americanos e Washington só forneceu visto de entrada única aos jornalistas chineses. Onde está a reciprocidade?


Dias atrás, a China revogou cartões de imprensa de três jornalistas do Wall Street Journal, devido à publicação em que o jornal difamou a China sem ética profissional, após o surto do novo coronavírus.


As opressões norte-americanas contra os cinco veículos de imprensa chineses são quase iguais a uma expulsão. A imprensa chinesa sempre observa as leis dos EUA e desempenha importantes papeis no impulso do conhecimento mútuo entre os dois povos. A única razão do Departamento de Estado norte-americano é que as empresas são oficiais da China.


Para oprimir a imprensa chinesa, muitos funcionários norte-americanos mencionaram o Relatório das Estratégias da Segurança Nacional feito em 2017. O documento diz que a China é o principal adversário dos EUA. No dia 8 de fevereiro, o secretário de Estado norte-americano propagou novamente a “teoria da ameaça da China” na reunião dos governadores dos EUA. Dez dias depois, o Departamento de Estado norte-americano classificaram os cinco veículos de imprensa da China como missões diplomáticas.


Tudo isso demonstra que, sob o pensamento de “soma zero” e de Guerra Fria, Washington tenciona impedir o desenvolvimento da China de todas as maneiras possíveis.


No entanto, o mundo já é multipolarizado e o desenvolvimento da China é inevitável. As decisões erradas dos EUA prejudicam os intercâmbios normais entre os dois países e ambos interesses.


Tradução: Luís Zhao

Revisão: Diego Goulart

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Palácio Potala oferece passeio turístico virtual por streaming ao vivo
Paisagem de primavera na província de Shaanxi
Pacientes infectados pelo novo coronavírus se recuperam e recebem alta hospitalar em Wuhan
Os bailarinos demonstram movimentos durante curso online
Agricultores colhem vegetais para garantir o fornecimento do mercado
Aviões fretados levam trabalhadores de volta ao trabalho

Notícias

ONU considera que China é avançada no uso de energias renováveis
Mais de 90% das empresas em Guangdong retomam o trabalho
Acadêmico brasileiro enaltece esforços da China na luta contra o novo coronavírus
É descoberta evidência de cromossomos e DNA em fósseis de dinossauros
Preços dos imóveis residenciais na China caem levemente em fevereiro
Indústria chinesa de máquinas registrará crescimento moderado no lucro