Ministro das Relações Exteriores chinês pede resposta internacional concertada à epidemia do novo coronavírus

Fonte: Xinhua Published: 2020-02-14 19:30:45
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

O conselheiro de Estado e ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, pediu nesta quinta-feira uma resposta internacional concertada, bem como um entendimento, confiança e apoio mútuos além das fronteiras na luta contra a epidemia do novo coronavírus.
Wang deu as declarações durante uma entrevista coletiva conjunta com seu homólogo alemão, Heiko Maas, depois de participar da última rodada de diálogo estratégico China-Alemanha sobre assuntos diplomáticos e de segurança.
Desde o início do surto da epidemia, o governo chinês, com um alto senso de responsabilidade por seu povo e a comunidade internacional, tomou as medidas de prevenção e controle mais abrangentes, rigorosas e completas, afirmou ele.
Observando que a epidemia começou a ser controlada com trabalho árduo, Wang destacou que, exceto na Província de Hubei, o número total de novos casos confirmados da infecção em outras partes da China caiu por 10 dias consecutivos até a quinta-feira, com a taxa de recuperação aumentando e mais de 6.000 pacientes curados recebendo alta hospitalar.
Esses dados e fatos mostram que a epidemia está, em geral, controlável e tratável, disse o diplomata, acrescentando que, com o desenvolvimento de medicamentos eficazes, a China tem confiança total e é capaz de derrotá-la.
Desde o início da luta contra o novo coronavírus, a China adotou uma maneira aberta e transparente e cooperou com a Alemanha e outros países nos trabalhos de prevenção, apontou Wang. Os esforços chineses impediram efetivamente que o surto se espalhasse além do país, com o número de infecções fora da China representando menos de 1% das infecções no país, informou ele.
Notando que a Organização Mundial da Saúde e vários países em todo o mundo elogiaram os esforços da China, Wang assinalou que o país fez contribuições e sacrifícios para a manutenção da saúde pública global.
Quanto ao efeito da epidemia na economia, Wang disse que o impacto é temporário e que a China tentará minimizá-lo, expressando a crença de que, após o surto, a demanda do consumo reprimida será liberada rapidamente e o impulso econômico se recuperará fortemente.
Segundo ele, a China está confiante de que vai alcançar todas as metas estabelecidas para seu desenvolvimento socioeconômico este ano, concluir a construção de uma sociedade moderadamente próspera em todos os aspectos e erradicar a pobreza absoluta.
A epidemia não afetará a cooperação China-Alemanha, garantiu Wang, acrescentando que o fortalecimento da parceria bilateral em saúde e higiene trará novas oportunidades para as empresas alemãs.
Observando que a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e Maas expressaram forte apoio à luta chinesa contra o vírus em várias ocasiões, Wang agradeceu ao governo e povo alemão por sua compreensão e ajuda.

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

China envia mais de 20 mil médicos para ajudar no combate antivírus em Hubei
Agricultores de toda a China retomam produção
Força Wuhan
Mais robôs de desinfecção entram em serviço em vários hospitais em Qingdao
Funcionários ferroviários realizam operações de desinfecção para conter a propagação da epidemia
Mais equipes médicas são enviadas a Hubei para lutar contra coronavírus

Notícias

Mais de 1.700 funcionários médicos chineses são infectados pelo novo coronavírus
Shanghai usa sistema de segurança sem contato em metrô
China envia mais de 20 mil médicos para ajudar no combate antivírus em Hubei
Hospitais chineses dão alta a 5.911 pacientes curados da infecção por novo coronavírus
Pesquisadores chineses isolam cepa do novo coronavírus das fezes
China envia 726.700 roupas de proteção para epicentro do vírus