Bolsonaro anuncia reunião de presidentes dos países amazônicos

Fonte: Xinhua Published: 2019-08-29 19:04:44
Comment
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, anunciou nesta quarta-feira a realização de uma reunião de cúpula dos países amazônicos no dia 6 de setembro na cidade colombiana de Letícia, para discutir uma política comum de preservação do meio ambiente e uma maneira de "exploração sustentável" da região.

Bolsonaro deu a notícia junto com o presidente chileno Sebastián Piñera, que aproveitou seu regresso da França, onde participou como convidado da reunião do G7, para fazer uma escala em Brasília e tomar um café da manhã com o presidente brasileiro na residência oficial no Palácio da Alvorada.

Ao fazer o anúncio à imprensa, Bolsonaro voltou a criticar o presidente francês, Emmanuel Macron, que sugeriu a possibilidade de se discutir no futuro uma gestão internacional para a preservação da Amazônia.

"Ao relativizar mais uma vez nossa soberania, ele despertou o sentimento patriótico do povo brasileiro, assim como de outros países aqui na América do Sul, que são parte da região amazônica", disse Bolsonaro.

"Tanto é assim, que dia 6 de setembro nos reuniremos com esses presidentes, exceto o da Venezuela, para discutir nossa política única de preservar o meio ambiente e a exploração sustentável de nossa região", acrescentou.

A reunião de cúpula deve contar com os presidentes de Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Guyana, Peru e Suriname. Maduro, da Venezuela, não foi convidado.

Bolsonaro disse ainda que lamenta "a péssima imagem apresentada pelo Sr. Macron, falsa, sobre nossa Amazônia", e chamou o presidente francês de "esquerdista".

"Essa inverdade do Macron ganhou força porque ele é de esquerda e eu sou de centro- direita", afirmou o presidente. Contestado por um jornalista que disse que, na França, Macron é considerado de centro-direita, respondeu. "Pra você, pra mim não".

O presidente comentou também que o "Brasil não tem preço" e que "20 milhões ou 20 trilhões é a mesma coisa", em referência à oferta de países do G7 de uma ajuda de 20 milhões de dólares ajudar a conter os incêndios na Amazônia.

"A Alemanha e, em especial, a França estavam comprando a nossa soberania à prestação. Deixei bem claro isso aí. Parece que 20 milhões de dólares é o nosso preço. O Brasil não tem preço", afirmou.

Durante o encontro com Bolsonaro, o presidente chileno ofereceu o envio de quatro aviões para combater as queimadas na Amazônia.

Piñera acrescentou que "a Amazônia brasileira é brasileira, mas muitos países querem colaborar", e fez referência à oferta do G7.

"Este esforço de 20 milhões (de dólares) feito por esse grupo de países, é um esforço que, pode agregar muito na forma de ajuda bilateral. Porque isso é solidariedade entre países, quando se enfrenta situações como as que enfrentam agora por causa das mudanças climáticas e o aquecimento global", afirmou.

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Expo Smart China 2019 em Chongqing
Fotos aéreas da pradaria de Hulunbuir
Cidade Proibida revela calendário temático para 2020
Campeonato Mundial de Freestyle Motocross realizado em Daqing
Desenhos foram criados em campos de arroz em Xinjiang
Caverna Yaolin impressiona e atrai turistas

Notícias

Bolsonaro anuncia reunião de presidentes dos países amazônicos
Queda da taxa de natalidade afeta Taiwan
Comentário: “Fabricado na China” é indivisível para empresas norte-americanas
Dados e fatos: China progride na melhoria dos serviços de cuidado aos idosos
Expo Smart China tem assinatura de 530 projetos
Comentário: Ampliação das zonas de livre comércio injeta dinâmica à economia chinesa