China pede ações conjuntas para enfrentar mudanças climáticas

Fonte: Xinhua Published: 2019-06-29 18:46:12
Comment
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

O conselheiro de Estado e ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, pediu que todas as partes cumpram seus compromissos e tomem ações concretas para enfrentar as mudanças climáticas, numa reunião trilateral entre China, França e Nações Unidas.

O encontro, realizado neste sábado, à margem da cúpula do Grupo dos Vinte (G20), foi presidido por Wang e contou com a participação do chanceler francês, Jean-Yves Le Drian, e do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres.

Em referência aos progressos que a China tem feito em reduzir emissões de carbono, Wang reiterou o compromisso do país em abordar as mudanças climáticas.

Em 2018, a China reduziu suas emissões de carbono por unidade do PIB em 45,8%, em comparação com o nível de 2005, atingindo a meta com uma antecedência de dois anos.

Após estabelecer um sistema nacional para transação de cotas de emissão de carbono em dezembro de 2017, a China teve sua proporção de combustíveis não-fósseis no consumo de energia primária atingindo 14,3% em 2018, perto da meta de 15% até 2020.

Na reunião, o oficial chinês enfatizou que enfrentar as mudanças climáticas requer tanto entusiasmo quanto perseverança, enquanto confiança, ação, cooperação e aderência aos princípios são também indispensáveis no processo.

Wang disse que o mundo não parará de promover o processo, apesar de um certo país já ter se retirado dos esforços para tratar o assunto.

"As mudanças climáticas são um desafio global e não temos outra opção a não ser a cooperação", apontou ele, pedindo que os países desenvolvidos cumpram seus compromissos de mobilizar US$ 100 bilhões anualmente até 2020 para ajudar a fortalecer capacidade dos países em desenvolvimento em resolver o assunto.

Wang também expressou o apoio da China à Cúpula 2019 de Ação Climática, que será presidida pelo secretário geral das Nações Unidas em Nova Iorque em setembro.

Elogiando a cooperação bilateral sobre as mudanças climáticas, Le Drian salientou que a França está disposta a fazer esforços conjuntos com a China no sentido de incentivar que a comunidade internacional implemente o Acordo de Paris sobre Mudanças Climáticas.

Por sua parte, Guterres elogiou o papel da China em abordar as mudanças climáticas, expressando a disposição de trabalhar com o país asiático e a França para estimular os países pertinentes a tomarem ações.

As três partes concordaram que todos os países devem defender o multilateralismo, cumprir compromissos do Acordo de Paris e contribuir em prol de resultados frutíferos na Cúpula 2019 de Ação Climática e na 25º sessão da Conferência das Partes (COP25) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (UNFCCC), marcada para 2 a 13 de dezembro, a fim de introduzir novos e fortes ímpetos na governança climática global.

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Exposição Econômica e Comercial China-África inaugurada em Changsha
Osaka, cidade anfitriã da cúpula do G20
Bela paisagem ao redor do Lago Sayram em Xinjiang
Inaugurada "a livraria mais linda da China" em Beijing
China começa a testar primeira linha de metrô que atravessa Rio Amarelo
Campo de girassol em Nanjing

Notícias

Presidente da China e dos EUA consentem em promover relações bilaterais
Presidentes da China e dos EUA concordam em retomar negociações comerciais
Xi Jinping profere discurso importante na Cúpula do G20 em Osaka
Xi Jinping: China cumprirá rigorosamente as promessas para com a África
Atrito comercial entre China e EUA impactará economia africana, afirma oficial angolano
Presidente chinês e líderes africanos se reúnem durante Cúpula do G20