Juiz brasileiro revoga proibição de publicar artigos sobre o presidente da Suprema Corte

Published: 2019-04-19 19:07:45
Comment
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

O juiz Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF) do Brasil revogou na quinta-feira sua decisão de proibir a publicação, por parte da revista Crusoe e o site O Antagonista, de artigos que mencionavam de forma polêmica o presidente da Corte, Antonio Dias Toffoli.

  A revogação ocorreu após duras críticas à medida feitas por juristas, entidades jornalísticas e integrantes do próprio STF, entre eles, o decano Celso de Mello.

  Como relator de uma investigação aberta para averiguar fake news, ofensas e ameaças contra o Tribunal, Alexandre de Moraes tinha determinado na segunda-feira passada que O Antagonista e a Crusoe retirassem reportagens e notas que citam o presidente da Suprema Corte.

  Segundo a reportagem publicada pela revista na quinta-feira passada, a defesa do empresário Marcelo Odebrecht apresentou à Justiça um documento no qual esclareceu que um personagem mencionado no e-mail o "amigo do amigo do meu pai" era Dias Toffoli que, naquela época, era Advogado Geral da União.

  O artigo informou que Odebrecht conversava com o advogado da empresa sobre se "tinham fechado" com o "amigo do amigo", embora na mensagem não houvesse menção a dinheiro nem a pagamentos de qualquer espécie.

  Marcelo Odebrecht foi condenado na Operação Lava Jato por liderar um multimilionário esquema de subornos e desvio de dinheiro público através de contratos superfaturados com a empresa estatal de petróleo, Petrobras e outras empresas públicas.

  Ao anunciar nesta quinta-feira a revogação de sua decisão original, Moraes evita mais desgaste, tanto para ele como para Toffoli, que tinham ficado isolados devido à medida.

  Em mensagem divulgada na quinta-feira, o juiz Celso de Mello, decano do STF, embora sem mencionar diretamente o episódio, disse que a censura era intolerável e uma perversão da ética do direito.

  "A censura, qualquer tipo de censura, inclusive aquela ordenada pelo Poder Judicial, se mostra prática ilegítima, autocrática e essencialmente incompatível com o regime das liberdades fundamentais consagrado pela Constituição da República", escreveu.

(Xinhua)

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Paisagem de folhas de bordo vermelho em Zhejiang
Base de Marte abre no deserto
Cenário da aldeia Dong em Guizhou, sudoeste da China
Aberto o Salão Internacional do Automóvel de Shanghai
Confira fotos antes e depois do incêndio na Catedral de Notre-Dame
Feira de Importação e Exportação da China abre em Guanghzou

Notícias

Xi Jinping: Internet é um espaço com grande potencial
Fragata de Cingapura chega à China para participar celebrações da marinha do ELP
Projeto da State Grid oferece 16 mil postos de emprego no Brasil
Macau criará fundo para investir em projetos da Grande Área da Baía
Fórum Temático do Cinema de Internet foi realizado em Beijing
Reserva de divisas da China no 1º trimestre registra crescimento estável