Chanceler russo diz que comércio com China está muito longe de seu limite

Published: 2019-01-17 10:26:14
Comment
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

O chanceler russo, Sergej Lavrov, disse ontem (11) a um repórter da Plataforma de Mídia Móvel China-Rússia que o volume de comércio russo-chinês atingiu um recorde, mas longe de atingir o limite. Salientou que a Rússia está cheia de confiança no futuro desenvolvimento das relações bilaterais.

Em 2018, o volume de comércio bilateral foi superior a 100 bilhões de dólares e fez da China o maior parceiro comercial da Rússia. Lavrov disse que os dois países têm agora 70 projetos-chave de cooperação econômica e comercial que somam mais de US $ 100 bilhões e envolvem muitos campos, como energia, agricultura, transporte e aeroespaço.

Lavrov acrescentou que os dois países continuarão aprofundando a cooperação em questões internacionais, com base nas organizações regionais e internacionais, como o BRICS e a Organização para Cooperação de Shanghai (OCS).

Em julho de 2017, o Grupo de Mídia da China cooperou com a Agência de Informação Internacional Russia Today para lançar o aplicativo da Plataforma de Mídia Móvel China-Rússia. Até agora, já foram feitos mais de 5,5 milhões de downloads.

Tradução: André Hu

Revisão: Diego Goulart


Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Linda paisagem de neve na montanha Huangshan
Carros conceituais apresentados no Salão do Automóvel de Detroit
Shanghai recebe a maior ponte para pedestres de impressão 3D do mundo
Chineses provam Mingau de Laba para celebrar Festival Laba
Veja fotos da semana de moda masculina de Milão
Aldeões preparam bolo de arroz tradicional para receber Ano Novo lunar em Zhejiang

Notícias

Chanceler russo diz que comércio com China está muito longe de seu limite
China dedica-se à promoção do desenvolvimento da indústria de manufatura
"Pai da Bomba de Hidrogênio" da China morre aos 93
Premiê chinês destaca importância de estímulo à vitalidade do mercado
Há 20 anos no Brasil, Huawei tem 75% dos funcionários locais
Primeiras-damas da China e da Finlândia assistem em conjunto a espetáculos