Comércio exterior da China cresce 4,2% até julho

Published: 2019-08-08 18:44:01
Comment
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

O comércio exterior de bens da China aumentou anualmente 4,2% de janeiro a julho, um total de 17,41 trilhões de yuans (US$ 2,49 trilhões), informou a Administração Geral das Alfândegas nesta quinta-feira (8).

As exportações subiram 6,7% (9,48 trilhões de yuans), e as importações 1,3% (7,93 trilhões de yuans). O superávit comercial até julho subiu 47,4% ante 2018, resultando em 1,55 trilhão de yuans. A estrutura comercial da China continuou a se otimizar com o comércio geral crescendo tanto em volume quanto em proporção. Cresceu 5,7% em termos anuais e representou 59,8% do comércio total, uma alta de 0,8 ponto percentual ante 2018.

O diretor do Departamento de Análises da Administração Geral das Alfândegas, Li Kuiwen, disse que o comércio exterior da China mantém uma tendência estável de crescimento nos primeiros sete meses deste ano.

“Sob as circunstâncias de crescentes riscos e desafios domésticos e internacionais, a economia chinesa mostrou sua resiliência aos riscos e sua capacidade de alcançar o crescimento. O comércio exterior chinês conseguiu um crescimento estável nos primeiros sete meses.”

O comércio geral da China entre janeiro e julho atingiu 10,4 trilhões de yuans, um aumento de 5,7% em termos anuais. Para o vice-diretor responsável pela pesquisa de mercado internacional do Instituto de Pesquisa do Ministério do Comércio da China, Bai Ming, esse aumento reflete a aceleração de atualização do comércio exterior do país.

“Em comparação com o comércio de processamento, o comércio geral está mais relacionado com fatores como qualidade, marca, tecnologia, normas e serviços. Por esta razão, o crescimento no comércio geral pode significar uma atualização do modelo de desenvolvimento do nosso comércio exterior.”

Ainda segundo as estatísticas, a União Europeia permaneceu o maior parceiro comercial da China, com um aumento de 10,8% no volume de comércio bilateral, um valor de 2,72 trilhões de yuans, seguida pela ASEAN, que cresceu 11,3%, um valor de 2,35 trilhões de yuans, e os Estados Unidos, com queda de 8,1%, um valor de 2,1 trilhões de yuans.

O comércio da China com os países do Cinturão e Rota totalizou 5,03 trilhões de yuans, uma alta de 10,2% em termos anuais, ou 6 pontos acima do ritmo geral. Esse volume representou 28,9% do comércio da China.

As empresas privadas da China registraram um crescimento acelerado de comércio nos primeiros sete meses, com o volume aumentando 11,8%, um total de 7,31 trilhões de yuans. Isso representou 42% do volume de comércio no período, uma alta de 2,9 pontos percentuais ante 2018.

A diretora do Departamento de Previsão do Centro Nacional de Informação, Yan Min, disse que estabelecer uma estrutura diversificada é favorável para promover o comércio exterior.

“O comércio da China com a União Europeia tem aumentado de forma constante neste ano, enquanto o potencial de comércio com as economias emergentes e os países do Cinturão e Rota está sendo explorado, fator importante para criar uma estrutura diversificada do comércio exterior. Para mim, esse seria uma nova força motriz do comércio exterior.”

Tradução: Li Jinchuan

Revisão: Gabriela Netto

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Paisagem noturna de Nanchang, capital da província de Jiangxi
RoboMaster, uma competição de robótica anual da China
Aproveite a melhor estação do ano em Yajiang
LEGO abre sua primeira loja em Xi'an
Paisagem do ponto cênico de Hongcun, província de Anhui
Parada de Wushu e de Danças de Dragão e de Leão realizada em Macau

Notícias

Invest São Paulo Day em Shanghai reúne banqueiros e empresários chineses e brasileiros
Difamar a China como “manipuladora da moeda” é ato típico do unilateralismo dos EUA
Venezuela condena “embargo econômico completo” dos EUA
DiDi Chuxing inicia operações em Santiago do Chile
Comentário: EUA são responsáveis pela parada no comércio agrícola China-EUA
Polícia divulga identidades das vítimas no tiroteio no Texas