Erradicação da pobreza é significativa para os direitos humanos na China

Published: 2019-06-26 19:39:42
Comment
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

Durante a 41ª Sessão do Conselho de Direitos Humanos, inaugurada nesta segunda-feira (24) em Genebra, a Associação da China para Estudos de Direitos Humanos realizou uma reunião complementar para apresentar os progressos alcançados na China após a fundação da República Popular da China em 1949.

Durante os 70 anos, a China conseguiu tirar mais de 700 milhões de pessoas da pobreza absoluta, criando um milagre na história de erradicação da pobreza no mundo. A eliminação da pobreza se tornou o maior sinal do desenvolvimento dos direitos humanos na China.

Na reunião, os especialistas chineses apresentaram a experiência da China sob vários aspectos. O professor do Instituto dos Direitos Humanos da Universidade Sudoeste de Ciência Política e Direito, Shang Haiming, disse:

“A China tomou muitas medidas para reduzir a pobreza. Entre as quais, a diminuição da pobreza educacional é a mais fundamental.”

Segundo ele, na educação básica, o país aplicou a eliminação do analfabetismo e popularização da educação obrigatória de nove anos, garantindo o direito básico à educação da população carente. Na educação vocacional, por meio do fornecimento de educação e formação vocacionais aos filhos das famílias pobres e os trabalhadores migrantes, aumentando a capacidade da população carente para sair da zona de pobreza. No ensino superior, é como o comentário do jornal da Espanha, El País, disse, “o sistema do exame de vestibular da China garante a igualdade de acesso ao ensino superior dos jovens carentes.”

O diretor da Associação, Norbu, apresentou as mudanças no Tibete. Ele deu exemplos como algumas regiões combinam a realocação dos moradores que vivem nas zonas inóspitas com a urbanização, e algumas regiões promovem a construção de infraestrutura com o desenvolvimento industrial, fornecendo emprego à população carente, entre os outros. Ele conclui:

“Até junho, a população carente do Tibete diminuiu de 590 mil para 150 mil, o número dos distritos pobres diminuiu de 74 para 19, e a incidência da pobreza diminuiu de 25,2% para 5,6%. Neste ano, o Tibete vai tentar erradicar a pobreza de forma absoluta.”

A secretária adjunta da Associação, Wang Linxia, disse que os progressos da China se baseiam no entendimento profundo da lei da governança da pobreza. Nos últimos 70 anos, a China descobriu um caminho apropriado às suas características.

“Na teoria dos Direitos Humanos, a China enfatizou primeiro que ‘o direito à subsistência e desenvolvimento é o direito humano primário’. Seguindo esta ideia, o país continuou praticando a diminuição da pobreza e promovendo a construção dos direitos humanos, alcançando vários êxitos significativos.”

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Bela paisagem ao redor do Lago Sayram em Xinjiang
Inaugurada "a livraria mais linda da China" em Beijing
China começa a testar primeira linha de metrô que atravessa Rio Amarelo
Campo de girassol em Nanjing
Exposição Internacional de Drones abre em Shenzhen
Pastagem Guanshan em Shaanxi

Notícias

China publica relatório sobre luta contra drogas
Propostas chinesas para o G20
Encontro do Audiovisual e Mídia entre Beijing e Brasil é realizado no Rio de Janeiro
China espera que G20 possa se opor claramente ao unilateralismo, protecionismo e intimidação
Ministro da Indústria e Comércio de Moçambique confirma ideia de “consulta mútua, construção conjunta e compartilhamento dos benefícios”
Especialistas brasileiros esperam consenso no multilateralismo no G20