Comentário: Não manche o conceito de civilização por favor, senhora Skinner!

Published: 2019-05-14 17:29:02
Comment
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

A diretora do Planejamento de Políticas do Departamento de Estado dos EUA, Kiron Skinner, fez recentemente uma afirmação chocante, chamando os conflitos sino-norte-americanos de “uma luta entre duas civilizações e ideologias totalmente diferentes”. O mundo foi abalado, e para as pessoas racionais, a afirmação de Skinner não passa de um truque para atrair atenção. O que ela disse manchou o conceito de “civilização” e embaraçou o setor político, acadêmico e até mesmo o Departamento de Estado dos EUA.

O “conflito entre civilizações” citado por Skinner veio da teoria do político da Universidade de Harvard, Samuel Phillips Huntington. Ele publicou um artigo na revista Foreign Affairs em 1993 e assim estabeleceu a teoria “Conflito de Civilização”. A tal teoria era polêmica por divulgar a hegemonia cultural e causou muitas críticas no setor acadêmico. No entanto, Huntington ainda estava tentando explicar os conflitos entre as civilizações e buscar uma maneira para atingir a diversidade. Hoje, Skinner citou um trecho fora do contexto de Huntington para apoiar seu ponto de vista. Se isso não for ignorância, é um forte preconceito.

O conhecimento de Skinner sobre a política do seu país e as relações sino-norte-americanas é ainda mais chocante. Ela chamou a China de “o primeiro concorrente não branco” dos EUA para tentar fazer uma comparação com a relação entre os EUA e a União Soviética na era da Guerra Fria. O que ela quer dizer aqui é: conflito com russos é entre pessoas brancas e conflito com chineses é uma luta entre brancos e não brancos. A discriminação racial é um campo minado nos EUA. A afirmação de Skinner causou pânico entre elites políticas e acadêmicos nos EUA. Surgiram oposições fortes na sociedade norte-americana contra essa afirmação “horrível e racista”. O mais lamentável é que tal afirmação veio de uma mulher educada dos EUA que acabou prejudicar a imagem das mulheres norte-americanas.

Na realidade, isso refletiu as ideias reais de alguns americanos que ainda possuem um “pensamento de Guerra Fria” e de “hegemonia cultural”. Eles estão acostumados a dividir pessoas baseando-se na “ideologia” e autoproclamam uma “civilização ortodoxa”, enquanto aplicam a lei da selva, onde os fortes comem os fracos. Estamos vivendo no século 21 e eles, pessoas como Skinner, ainda estão vivendo os tempos de 40 anos atrás.

Um mundo bonito é composto por diversas civilizações, e cada uma delas é uma deposição da história e algo precioso para a humanidade.

Não há conflitos entre civilizações, mas sim pessoas que querem criar conflitos em nome das civilizações. No final, diante das correntes históricas e das pessoas que amam a paz, esta ação será em vão.

Tradução: Li Jinchuan

Revisão: Erasto


Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Exposição de civilizações asiáticas foi inaugurada em Beijing
Novo aeroporto de Beijing conclui primeiro voo de teste de aviões de passageiros
Jardim de Cerejeiras 203 em Dalian
As maravilhosas paisagens asiáticas
“Ônibus Panda” atrai atenções nas ruas de Fuzhou
Estudantes chineses comemoram Dia Mundial do Sorriso

Notícias

Saudades de Xi Jinping pela família e pela pátria
Novo aeroporto de Beijing conclui primeiro voo de teste de aviões de passageiros
Comentário: China está pronta para qualquer tempestade comercial
Governo dos Lagos Dajiu esforça-se pela proteção de pantanais
Guterres condena ataque a igreja católica em Burkina Faso
Mais de 40 mil pessoas passam pela Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau por dia