Comentário: Sistema Beidou se coloca a serviço do mundo

Published: 2018-12-28 19:28:44
Comment
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

No dia 27 de dezembro, o sistema de navegação por satélites Beidou entrou em serviço para todo o mundo. Trata-se do quarto sistema de navegação internacional, ao lado do GPS dos Estados Unidos, sistema GLONASS da Rússia e o Galileo, desenvolvido pela União Europeia.

Desde que o primeiro satélite de teste Beidou foi lançado em 2000, a China lançou, ao longo dos 18 anos, 43 satélites do sistema Beidou, alcançando uma cobertura para o território chinês, região Ásia-Pacífico, países ao longo do Cinturão e Rota e todo o planeta.

O lançamento mais intensificado dos satélites Beidou ocorreu neste ano. Até o momento, um total de 19 satélites do sistema Beidou-3 foram enviados para o espaço. Também em 2018, o país realizou 36 lançamentos, superando pela primeira vez os Estados Unidos, que teve 34 lançamentos. O fundador da empresa norte-americana Space X, Elon Musk, disse no twitter que o progresso da China no espaço é admirável.

Tal avanço foi alcançado em meio a dificuldades. Entre 2000 e 2007, o país lançou quatro satélites de teste, percorrendo um longo caminho para transformar o design em realidade. Os primeiros satélites, no entanto, foram completamente diferentes dos usados atualmente. A tecnologia aplicada naquela época tinha um defeito sobre a possibilidade de expor a localização do próprio satélite. Mas, graças a esse defeito, os satélites de teste permitiram uma comunicação curta, que auxiliou no socorro após o grande terremoto de Wenchua, em 2008. Por causa disso, o atual sistema Beidou de terceira geração mantém essa função de enviar e receber mensagens curtas, se tornando um sistema que combina localização, navegação, serviço de horário e comunicação.

Agora, o sistema Beidou está aplicado amplamente nos setores de mapeamento, transporte rodoviário e marítimo, agropecuária e pesca, supervisão do solo e mineração. A ponte Hong Kong-Macau-Zhuhai, que entrou em funcionamento em outubro passado, é protegida pelo sistema Beidou. Em 2019, haverá possibilidade de nascer um novo carro inteligente baseado no sistema Beidou.

A comercialização do sistema Beidou incentivou a formação da nova cadeia econômica, que inclui chip de navegação por satélite, celular inteligente, e-commerce, carro sem motorista e cidade inteligente. Atualmente, a indústria relacionada com o Beidou absorveu mais de 500 mil pessoas. Estima-se que em 2020, quando foi concluído o sistema Beidou-3, o volume da indústria de navegação por satélite da China poderá superar 400 bilhões de yuans.

O sistema chinês Beidou foi integrado nas organizações internacionais de aviação, assuntos marítimos e comunicação móvel. Ele também foi incluído no programa internacional de socorro por satélites.

Até 2020, o país vai continuar a lançar mais 11 satélites do Beidou-3 e um do Beidou-2, se esforçando para criar, em 2035, o sistema complexo de localização, navegação e serviço de horário que tem como base os satélites Beidou.


Por Laura

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Tripulação de trem-bala chinês prepara-se para o Festival da Primavera
Tesla inicia construção de fábrica em Shanghai
Pântano de metasequoias em Yunnan
Cidade Proibida realiza exposição comemorativa do Festival da Primavera
Pandas-gigantes se divertem no inverno de Shandong
Lanternas tradicionais são fabricadas para receber Festival da Primavera

Notícias

China promoverá novas medidas para incentivar consumo e ampliar abertura
Chefe Executivo da RAEM recebe novo comandante da Guarnição do Exército chinês
Embaixador chinês reúne-se com alto oficial do Itamarty no Brasil
Palestina pede à ONU que impeça Israel de construir assentamentos judaicos
Dois acadêmicos ganham mais alto prêmio de ciência e tecnologia da China
Houthis dizem ter dialogado com enviado especial da ONU sobre cessar-fogo