Xi Jinping inicia ações diplomáticas para países em desenvolvimento

Published: 2018-07-13 19:48:57
Comment
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

No final de julho, o presidente da China, Xi Jinping, fará visitas de Estado aos Emirados Árabes Unidos, Senegal, Ruanda e África do Sul. Durante sua viagem, o líder chinês vai comparecer ao 10º Encontro dos Líderes do BRICS, em Johanesburgo, África do Sul. Além disso, ele passará pelas Ilhas Maurício para uma visita amistosa. A Chancelaria chinesa realizou um briefing com as mídias chinesa e estrangeira sobre a viagem.

O vice-ministro das Relações Exteriores da China, Kong Xuanyou, afirmou que esta é a primeira visita do presidente chinês Xi Jinping após sua reeleição do cargo, em março deste ano. Sob o contexto das mudanças da circunstância internacional, a visita de Xi Jinping se torna uma ação diplomática de suma importância para os países em desenvolvimento.

O presidente chinês deseja promover o aprofundamento das relações entre a China e os países visitados, reforçando a unidade e a cooperação entre a China e os países em desenvolvimento da Ásia e da África.

A presença do líder chinês nesses países também ajuda a alcançar mais consensos para a Cúpula de Beijing do Fórum de Cooperação China-África, em setembro.

Xi Jinping iniciará suas visitas no dia 19 de julho pelos Emirados Árabes Unidos. Kong Xuanyou afirmou que esta é a primeira visita de um líder chinês ao emirado em 29 anos.

“Os Emirados Árabes Unidos foram o primeiro país do Golfo a estabelecer uma parceria estratégica, e os dois países têm uma tradição amigável. A visita do presidente chinês tem significado crucial para aumentar o nível das relações bilaterais, para estimular a construção do Cinturão e Rota no Golfo e para a paz e a estabilidade da região. Durante a visita, os dois países devem fechar acordos para a construção do Cinturão e Rota, cooperação da capacidade produtiva, e nos setores de energia, agricultura, finanças, alfândega, pesquisa científica e intercâmbio pessoal.”

Além dos Emirados Árabes, Xi Jinping também fará visitas de Estado a Senegal, Ruanda e África do Sul. Segundo Kong Xuanyou, os intercâmbios de alto nível sino-africanos são frequentes neste ano. Pode-se dizer que 2018 é o “ano da África” para a diplomacia chinesa, afirmou o vice-ministro.

“A África constitui a base da diplomacia chinesa. A China e a África têm sido uma comunidade de futuro compartilhado e de cooperação de benefício mútuo.”

Durante sua visita à África do Sul, o presidente chinês comparecerá ao 10º Encontro dos Líderes do BRICS. Dessa forma, Xi Jinping participa ou preside a cúpula pelo sexto ano consecutivo. O assistente do ministro da Chancelaria chinesa, Zhang Jun, disse que Xi Jinping vai trocar opiniões com os líderes dos demais países sobre as cooperações do BRICS e as questões regionais e internacionais de interesse comum.

“A Cúpula de Johanesburgo mantém o ímpeto de cooperação como a Cúpula de Xiamen. Ela tem como tema ‘os países do BRICS na África: buscar juntos o crescimento inclusivo e a prosperidade comum na Quarta Revolução Industrial’. A China enalteceu os esforços feitos pela África do Sul para prepara o encontro. O país vai impulsionar, junto com a África do Sul e as partes envolvidas, o êxito da Cúpula desta vez, injetando nova força para as parcerias do BRICS.”

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Vista aérea de Johanesburgo
Códigos QR feitos de fibra de bambu ajudam região chinesa a combater a pobreza
França bate a Croácia por 4 a 2 e é bicampeã mundial
Paisagem de Wanfenglin na cidade de Xingyi, província de Guizhou
Festival Internacional de Escultura em Areia de Zhoushan
Alta temporada de turismo em Dunhuang

Notícias

China pede esforços conjuntos para lidar com desenvolvimento desequilibrado e inadequado
Livro ‘Xi Jinping, a Governança da China' é promovido nos Emirados Árabes Unidos
Presidentes da Rússia e dos EUA elogiam encontro bilateral
China resolve com eficiência excesso de capacidade produtiva, diz especialista chinês
Equipes encontram última vítima do naufrágio na Tailândia
EUA e RPDC concordam em reiniciar busca por restos mortais de soldados americanos