Chanceler esclarece a diplomacia com características chinesas na nova era

Published: 2018-03-08 19:34:12
Comment
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

O chanceler chinês, Wang Yi, participou hoje (8) de uma entrevista coletiva, no Centro de Imprensa para a Primeira Sessão da 13ª Assembleia Popular Nacional (APN) da China, em Beijing. Ele respondeu às questões relacionadas às "políticas e relações externas da China", feitas por repórteres chineses e estrangeiros.

Primeiro, o chanceler explicou os objetivos da diplomacia com características chinesas na nova era.

Em outubro do ano passado, o presidente Xi Jinping enfatizou no relatório do 19º Congresso Nacional do Partido Comunista da China que o país estabelecerá um novo tipo de relações internacionais com outros países e construirá uma comunidade de destino comum da humanidade, que são os objetivos da diplomacia com características chinesas na nova era. Esta diplomacia  criará um melhor ambiente externo para o próprio desenvolvimento e fornecerá mais ‘energias positivas’ para o progresso da humanidade.

Nos últimos anos, a influência global da China aumentou, e ao mesmo tempo, surgiu uma "teoria de ameaça da China". Wang Yi apontou que esta “teoria” é muito preconceituosa.

“A China é um dos países que mais contribui ao crescimento econômico mundial, à redução da pobreza global e à manutenção da paz mundial. A China é ainda um dos maiores contribuintes à governança global, à liberalização comercial e à abertura da economia mundial através de várias iniciativas, como ‘Cinturão e Rota’. Aqueles livres de preconceito ou sem duplos padrões  verão na China não uma ameaça, mas muitas oportunidades. 

Acerca do “Cinturão e Rota”, o chanceler informou que, até agora, mais de 80 países e organizações internacionais assinaram acordos de cooperação com a China, o que beneficiará o desenvolvimento econômico dos países envolvidos.

“A Iniciativa do Cinturão e Rota é um benefício público global que segue as regras internacionais, e uma plataforma de cooperação internacional que segue os princípios do mercado. Qualquer projeto nesta iniciativa será negociado e discutido por todos os países participantes. A iniciativa pede a participação justa de todas as partes e procura o benefício recíproco. 

Na ocasião, o chanceler explicou as suas perspectivas sobre as questões atuais em evidência, como as fricções comerciais China-EUA e a crise da Península Coreana. Acerca das relações comerciais sino-norte-americanas, ele acredita que existem somente competições saudáveis e positivas entre os dois Estados, o que é comum nos intercâmbios internacionais. A China e os EUA devem ser parceiros ao invés de inimigos.

 

Quanto às relações entre os EUA e a República Popular Democrática da Coreia, Wang Yi disse que os fatos demonstram que a proposta chinesa de “suspensão dupla”, indicada pelo país para a solução da crise da Península Coreana, é um bom caminho para a solução da crise na região. A “dupla suspensão” consiste em suspender os testes nucleares feitos pela República Popular Democrática da Coreia e, ao mesmo tempo, a suspensão das manobras militares entre os EUA e a Coreia do Sul. De acordo com Wang Yi, a medida criaria condições básicas para a melhoria das relações entre a RPDC e a Coreia do Sul. A China também pediu que a  RPDC e os Estados Unidos realizem o quanto antes seus contatos e diálogos.

 

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Salão do Automóvel de Genebra 2018
Estação das flores transforma paisagens na China
Rua em espiral em Chongqing
Correios da China emitem selos comemorativos da 13ª Assembleia Popular Nacional
Já ouviu falar em “espelhos 3D”?
Um novo tipo geomorfológico foi descoberto em Zhangye

Notícias

Wang Yi espera boa interação entre acordos de livre comércio na Ásia-Pacífico
Diplomacia chinesa criará melhor ambiente para progresso da humanidade
UE anuncia medidas contra imposição tributária dos EUA sobre aço e alumínio
Embaixador português na China afirma que país é gigante na inovação tecnológica
Xi Jinping delibera relatório de trabalho do governo com os delegados de Guangdong
China alcança marca histórica de alívio da pobreza em cinco anos