Empresa privada chinesa pretende lançar satélites em 2018

Published: 2018-02-19 19:13:24
Comment
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

Empresa privada chinesa pretende lançar satélites em 2018

Um projeto de Internet das Coisas sobre satélites entrou recentemente em funcionamento. Lançado pela Commsat, uma empresa comercial aeroespacial da China, o projeto pretende lançar sete satélites no segundo semestre de 2018, para testar a tecnologia-chave das telecomunicações da Internet das Coisas e a capacidade de rede de vários satélites. Trata-se do maior projeto pré-comercial com maior escala e complexidade do setor aeroespacial comercial e privado da China.

Com o rápido desenvolvimento do setor aeroespacial comercial da China e do mundo, a gigantesca procura por comunicação das informações, gerada pela globalização, torna-se o foco das empresas tecnológicas dos Estados Unidos, como Google e SpaceX. Nestas circunstâncias, as empresas chinesas e europeias do setor começaram a lançar seus projetos aeroespaciais. Concretizar a interconexão global com satélites de baixa órbita torna-se uma nova área estratégica.

Cao Huitao, diretor do Departamento de Propriedade Intelectual do Instituto de Ótica e Mecânica de Precisão de Xi’an, ligado à Academia de Ciências da China, apresentou:

“Neste momento, há ainda 3,9 bilhões de pessoas que não estão conectadas à rede de comunicação. Este número pode parecer uma novidade. Mas por que isso? Porque todas as estações de base e comunicações de rede precisam levar em consideração o custo, ou seja, a relação entre investimento e produção. Não vale a pena construir uma estação de base em uma área com baixa densidade populacional. Por isso, não se constrói uma estação de base em uma zona pastoril ou em um deserto. Há problemas na logística, trabalho de campo e offshore. O que estamos fazendo é construir uma rede que interliga a parte continental e o mar. O projeto não surgiu do nada. Na verdade, há muitas empresas estrangeiras que já operam este serviço. Na China, a ideia ainda não foi materializada.”

 Com tecnologia-chave na pesquisa e desenvolvimento de carga e rede, a Commsat é uma companhia privada com sede em Beijing, investida e incubada pelo Instituto de Ótica e Mecânica de Precisão de Xi’an. Em fevereiro de 2018, o primeiro satélite de educação compartilhada, o Young Pioneer 1, foi lançado em Jiuquan,  manufaturado e testado pela Commsat. O diretor Cao Huitao continuou:

 “Os sete satélites a serem lançados em 2018 são totalmente comerciais. Cinco deles já foram vendidos. Por isso, o lançamento não conta o nosso custo. Um dos satélites mais divertidos foi comprado pela Ofo, empresa líder do setor de bicicletas compartilhadas da China. Temos ainda o Young Pioneer 2 e um satélite para recolher dados sobre pandas. o aplicativo é muito pragmático. ”

O principal satélite de entretenimento foi customizado pela Ofo para que os consumidores regulares tirem selfies, ou utilizem  Realidade Virtual no espaço. Enquanto o Young Pioneer 2 é voltado para a educação científica e testes espaciais nas escolas de ensino primário e secundário, o satélite de Panda é destinado ao monitoramento e proteção de pandas selvagens. 

  

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Ni Ni e Jing Boran posam juntos para "BAZAAR"
Canteiro de flores na Praça de Tiananmen
Paisagem de Shahu, no noroeste da China
Veja fotos do último dia do Rock in Rio 2017
Semana de Moda de Milão 2018
Exposição Gastronômica do Meio-Outono realizada em Chengdu

Notícias

UE adota medidas para enfrentar crise na segurança de alimentos
Beijing inicia construção de novo ponto de partida histórico
Lançado primeiro trem de carga refrigerado China-Rússia
Vice-premier chinesa é premiada pela Universidade de Nova York
Xi Jinping visita Exposição "Os 5 anos de mudanças da China"
Construção de alto padrão do subcentro de Beijing é promovida ordenadamente