Organização Internacional do Café quer China como país membro

Published: 2018-02-07 18:49:32
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

Nos últimos anos, o crescimento da produção e do consumo do café entre os chineses tem despertado a atenção de exportadores e fabricantes de maquinários e insumos de todos os continentes. De olho nesse mercado em expansão, o diretor-executivo da Organização Internacional do Café (OIC), o brasileiro José Sette, afirmou que quer trazer a China para os seus quadros.

Entre o fim de janeiro e começo de fevereiro, a cidade de Pu’er, no sul da China, sediou a 1ª Expo Internacional de Cafés Especiais de Pu’er. Na ocasião, autoridades e especialistas participaram de conferências e exposições, de países como a China, Brasil, Colômbia, Etiópia, Estados Unidos, Japão, Austrália, Alemanha e Inglaterra, entre outros. José Sette proferiu um discurso temático na exposição, ressaltando o potencial da China no futuro como país consumidor e produtor, bem como a importância da participação da China na OCI como um membro.

Organização Internacional do Café quer China como país membro

 

“Nos últimos 20 anos, a taxa de crescimento anual do consumo doméstico da China têm sido de 14,7%, já que em 2016 atingiu aproximadamente 2,5 milhões de sacas de café. A escala do mercado cresceu, passando de US$ 300 milhões em 2002 para US$ 1,2 bilhão em 2017.”

A Ásia, de acordo com os números da organização, possui o mercado cafeeiro de crescimento mais acelerado na última década, com destaque para a Indonésia e a China. Sette, em seu discurso na abertura da Expo Pu’er, salientou a importância da China tanto para a produção quanto para o consumo do café em escala mundial nos próximos anos. Ele se disse impressionado com a boa qualidade dos grãos especiais produzidos na província de Yunnan, onde se situa Pu´er, e afirmou que a China será “bem-vinda à família da OIC”.

“Um dos propósitos de todo esse processo de entrada da China na organização é fazer com que a China se insira dentro do mercado mundial de uma maneira mais efetiva do que vem sendo feito até agora. A China é um produtor relativamente jovem no mundo cafeeiro. E certamente se beneficiará do intercâmbio de experiência de ideias, que a organização internacional de café pode proporcionar.”

O empresário brasileiro Carlos Brando, diretor da consultoria internacional P&A, especialista em agronegócios, disse concordar com a posição de Sette. Segundo ele, a China deveria desenvolver diferentes modelos de negócios no setor. Um deles seria seguir os passos do Brasil, que estimulou o consumo interno nos últimos 15 anos, se tornando o segundo maior consumidor de café do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos.

 

Organização Internacional do Café quer China como país membro

“Eu gosto de ver ainda a China, um país de uma classe média 400 milhões de habitantes, que é duas vezes o tamanho do Brasil, de toda a população do Brasil. Então, acho que o potencial aqui é imenso. Falta talvez um programa institucional. Existe muito investimento, loja de café, mas isso sozinho não vai levar ao consumo. O problema crítico, por exemplo, é a barreira do café e saúde. O café tem benefícios muito importantes pela saúde, são ignorados pela população. Em poucas conversas eu já escutei: o café é mau para os ossos, o café deixa o dente amarelo, o café faz aquilo. Enquanto que o chá tem toda uma lista de benefícios para a saúde. Esta lista também existe para o café. Só que não é devidamente promovida. Tem que ter o trabalho de promoção entre as empresas. Além de diferença de preço, entre chá e o café, que é muito grande ainda.”

A OIC é uma organização intergovernamental, fundada em 1963 em Londres, composta pelos países importadores e exportadores do café. A produção dos membros da organização representa atualmente 98% da produção mundial.


Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Vista aérea do Lago Oeste em Hangzhou
Festival Internacional de Circo da China realizado em Zhuhai
Reserva Nacional Natural de Wanglang, na província de Sichuan
Cenário de neve no parque Beiling em Shenyang
Panda gigante brinca na neve em Heilongjiang
Paisagem do lago Ruqin no ponto turístico de Lushan em Jiangxi

Notícias

Presidentes da China e do Suriname reúnem-se em Beijing
Presidente chinês salienta importância de cultivar talentos militares
Políticos dos EUA difamam a imagem da China com intenções sinistras, disse porta-voz da Chancelaria
Comentário: Investidores globais estão otimistas com o mercado de capitais da China
Compatriotas de Taiwan têm tratamento igualitário em mais setores na parte continental chinesa
Alto funcionário do PCCh critica ato dos EUA sobre Hong Kong