Encontro dos líderes chinês e norte-americano gerou positivos resultados econômicos

Fonte: CRI Published: 2017-11-10 17:37:41
Comment
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

Encontro dos líderes chinês e norte-americano gerou positivos resultados econômicos

O vice-ministro chinês das Finanças, Zhu Guangyao, apresentou hoje (10), em uma entrevista coletiva, que os líderes chinês e norte-americano chegaram a um consenso importante na área econômica, durante a visita de Estado em Beijing. Os resultados econômicos são de grande significado positivo às relações econômicas China-EUA por um longo prazo.

Os dois países mantêm um contato estreito sobre a coordenação de política de macroeconomia, incluindo políticas de finanças, moeda e taxa de câmbio, bem como a reforma estrutural e a governança econômica global, disse Zhu Guangyao. As duas nações vão se esforçar para promover um crescimento econômico global ainda mais forte, sustentável, equilibrado e inclusivo, acrescentou Zhu.

Segundo o vice-ministro chinês, a China vai facilitar o acesso ao mercado em áreas de finanças, bancos, fundos e valores mobiliários e seguros.

“A China decide suavizar, até 51%, o limite da taxa de investimento direto ou indireto por investidores estrangeiros a setores de valores mobiliários, gestão de fundos e empresa de mercado futuro. Em três anos após a aplicação dessas medidas, o limite será totalmente cancelado. Será anulado também o limite de capital estrangeiro nos bancos chineses e nas empresas chinesas de gestão de ativos financeiros, que atualmente é 20% para participação individual e 25% para participação total. Em três anos, será aumentado até 51% o limite para investimentos estrangeiros nas empresas de seguros de vida e, em cinco anos, o limite será totalmente cancelado.”

Segundo Zhu, ao ampliar as políticas de abertura ao exterior, a China tem também exigências aos EUA.

“A China exige que os EUA relaxem a restrição de exportação dos produtos de alta tecnologia à China, cumpram sua obrigação definida pelo 15º artigo do Acordo de Adesão da China à OMC, tratem de forma equitativa as empresas chinesas que fazem investimentos nos EUA, promovam o processo de solicitação de licença dos serviços financeiros da China International Capital Corporation Limited, além de ter cautela em usar medidas de alívio.”

Durante a visita de Estado do presidente Trump à China, os dois países assinaram acordos comerciais com valor superior a US$ 250 bilhões, novo recorde na história de cooperação comercial sino-norte-americana. Para a pesquisadora do Centro de Intercâmbio Econômico Internacional da China, Zhang Monan, os dois países possuem grandes espaços de cooperação.

“A China e os EUA podem explorar mais áreas de cooperação comercial e industrial. Os dois países possuem grande espaço e potencial de cooperação em novas áreas econômicas, como fabricação inteligente, economia digital e biotecnologia.”

 

Tradução: Li Jinchuan

Revisão: Diego

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Ni Ni e Jing Boran posam juntos para "BAZAAR"
Canteiro de flores na Praça de Tiananmen
Paisagem de Shahu, no noroeste da China
Veja fotos do último dia do Rock in Rio 2017
Semana de Moda de Milão 2018
Exposição Gastronômica do Meio-Outono realizada em Chengdu

Notícias

UE adota medidas para enfrentar crise na segurança de alimentos
Beijing inicia construção de novo ponto de partida histórico
Lançado primeiro trem de carga refrigerado China-Rússia
Vice-premier chinesa é premiada pela Universidade de Nova York
Xi Jinping visita Exposição "Os 5 anos de mudanças da China"
Construção de alto padrão do subcentro de Beijing é promovida ordenadamente