Conselho de Estado da China prevê simplificar administração e descentralizar poderes

Fonte: CRI Published: 2017-09-11 20:49:25
Comment
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

Novas medidas irão favorecer a simplificação da administração e a descentralização dos poderes, segundo declarações recentes do responsável pelo Gabinete de Reforma do Sistema de Aprovação Administrativa do Conselho de Estado da China, Wu Zhilun. A nova zona de Pudong, em Shanghai, por exemplo, se submeteu a uma reforma de separação entre o licenciamento comercial e o de gerências. Em uma recente decisão do Conselho de Estado, a experiência da zona será ampliada para 10 zonas pilotos, entre elas a cidade de Tianjin e as províncias de Liaoning, Zhejiang e Fujian.

Além disso, o governo chinês decidiu anular 52 itens submetidos à aprovação do próprio Conselho, assim como 22 itens sob aprovação dos governos regionais. A maioria deles está relacionada a empregos, abertura de empresas, investimento, gerenciamento e condições de negócios. A reforma facilitará que empresas e pessoas cumpram as formalidades, ao mesmo tempo em que irá estimular o dinamismo do mercado.

“Seja o cancelamento dos 52 ou dos 22 itens, as entidades envolvidas devem estabelecer, em 20 dias úteis, medidas detalhadas para fortalecer o monitoramento durante e após o processo de início de uma nova atividade. A anulação dos itens visa reduzir os limites para entrar em um negócio, mas isso não significa que o governo abrandará as inspeções. Sem esses limites, vamos fortalecer o monitoramento sobre o mercado.”

Aprofundar a reforma do sistema de aprovação administrativa e acelerar a transformação das funções do governo têm sido reformas importantes da China nos últimos anos. Simultaneamente, o governo aumentou o esforço no monitoramento, servindo para promover a equidade competitiva do mercado. Desde 2013, a China cancelou aproximadamente mil itens de aprovação administrativa. Segundo o relatório de 2017 sobre o ambiente de negócios divulgado pelo Banco Mundial, nos últimos três anos, a China avançou 18 posições no ranking mundial de conveniência comercial. No quesito facilidades para abertura de empresas o país subiu 31 postos. De acordo com Wu Zhilun, a desburocratização administrativa e a descentralização dos poderes não só eliminam restrições, como também auxiliam a supervisionar o mercado e melhorar os serviços públicos.

A reforma chinesa entrou em uma etapa profunda e mais difícil, disse Wu Zhilun. Segundo ele, o Conselho de Estado manteve mais de 630 itens de aprovação administrativa inalterados.

“Por que os 632 itens permanecem inalterados? A meu ver, 40% ou 50% deles, isto é, mais de 300 itens, são necessários em qualquer situação. Na verdade, a maioria dos países do mundo implementa a aprovação desses, principalmente itens diretamente relacionados à saúde e à segurança, incluindo a segurança financeira. Esses itens devem ser mantidos. Quanto à outra metade, eles permanecem ou porque haverá riscos se forem cancelados, ou porque não há maneiras mais apropriadas que a aprovação prévia neste momento.”

A China pretende continuar a fortalecer e melhorar a gestão governamental por meio de um reforço na supervisão do mercado, além de aperfeiçoar o mecanismo de monitoramento social e acelerar a construção do sistema de crédito.

Tradução: Joaquina Hou

Revisão: Rafael Fontana

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Ni Ni e Jing Boran posam juntos para "BAZAAR"
Canteiro de flores na Praça de Tiananmen
Paisagem de Shahu, no noroeste da China
Veja fotos do último dia do Rock in Rio 2017
Semana de Moda de Milão 2018
Exposição Gastronômica do Meio-Outono realizada em Chengdu

Notícias

UE adota medidas para enfrentar crise na segurança de alimentos
Beijing inicia construção de novo ponto de partida histórico
Lançado primeiro trem de carga refrigerado China-Rússia
Vice-premier chinesa é premiada pela Universidade de Nova York
Xi Jinping visita Exposição "Os 5 anos de mudanças da China"
Construção de alto padrão do subcentro de Beijing é promovida ordenadamente