Comentário: Latino-americanos não devem assumir responsabilidade pela segunda onda da epidemia nos EUA

Published: 2020-06-13 21:49:01
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

“O México deveria ser responsável por uma nova onda do Covid-19 nos Estados Unidos?”, escreveu assim o site mexicano “El Financiero”. A razão para isso é a seguinte: na quinta-feira (11), em uma reunião realizada na Casa Branca, a liderança do governo dos EUA culpou os turistas mexicanos pela atual onda da epidemia, enfatizando que essa nova onda não tem nada a ver com o “reinício da economia”. 

Da China à Organização Mundial da Saúde, da União Europeia à América Latina, o atual governo norte-americano usou repetidamente o truque de desviar para outros suas responsabilidades devidas pela má prevenção e controle da epidemia. Isso exemplifica o provérbio latino-americano: “Tão longe de Deus, tão perto dos Estados Unidos”. 

Desta vez, os políticos norte-americanos estão mirando no vizinho México. Um dos principais motivos é que a maioria dos novos casos confirmados nos EUA vem principalmente de comunidades latino-americanas. A Casa Branca suspeita, portanto, que os novos casos possam ter sido “importados” do México. De fato, essa razão é extremamente ridícula. 

Desde o início da epidemia, o grupo de latino-americano nos EUA sofreu taxas de infecção e mortalidade “desproporcionais”, bem como impactos causados pela desigualdade racial. De acordo com informações divulgadas no início de abril pelo governo municipal de Nova York, os latino-americanos representam 34% das mortes causadas por Covid-19. O site do jornal New York Times aponta que a lacuna presente na saúde de afro-americanos e latino-americanos nos EUA “resulta diretamente da desigualdade econômica e de oportunidade na história”. 

Os países da América Latina, particularmente, México, Guatemala e outros países vizinhos dos EUA, são na verdade vítimas da exportação epidêmica dos EUA. Desde o início da epidemia, os EUA enviaram de volta a países latino-americanos um grande número de imigrantes ilegais que não foram testados, o que piorou ainda mais a situação epidêmica desses países com fracos sistemas de saúde pública.

tradução: Shi Liang

revisão: Gabriela Nascimento

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Comunidade de Suzhou oferece serviço de entrega de refeições para idosos
Cooperativa de chá ajuda famílias a superarem a pobreza em Hainan
Palácio Potala reabre ao público
Indústria de cosméticos cresce rápido e se destaca na vila de Daixi
Pessoas visitam parque da floresta Jinshan
Zona de desenvolvimento fornece postos de trabalho para residentes reassentados em Guizhou

Notícias

​China registra 11 novos casos confirmados de Covid-19
Especialistas pedem reforço da cooperação contra COVID-19
Premiê chinês realiza videoconferência com chanceler alemã
​Famoso epidemiologista estadunidense manifesta apoio à OMS
Brasil relata mais de 800 mil casos confirmados de Covid-19
Processo de impeachment contra governador é aberto no Rio de Janeiro