Comentário: China nunca fica ausente ao combate global contra COVID-19

Published: 2020-03-12 21:25:05
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

“A Itália enfrenta falta de materiais e equipamentos de saúde e espera a ajuda da China para resolver a urgência.” A fala é do chanceler italiano, Luigi Di Maio, em uma recente conversa por telefone com o chanceler chinês, Wang Yi.

Sendo o país com a epidemia mais grave na Europa, a Itália havia reportado 12.462 casos confirmados do COVID-19 até as 18 horas do dia 11 e 827 pessoas morreram devido à doença. O premiê italiano, Giuseppe Conte, exigiu na noite do mesmo dia o cancelamento de todas atividades comerciais no país exceto as unidades de necessidades urgentes como farmácias e lojas de alimentos.

A epidemia não tem fronteiras. A China afirmou que vai oferecer materiais de assistência de saúde à Itália, como máscaras, e exportar mais equipamentos médicos ao país. Uma equipe de sete especialistas voluntários da Cruz Vermelha chinesa viajou hoje ao país europeu para ajudar na sua luta contra o COVID-19.

O embaixador italiano na União Europeia (UE), Maurizio Massari, escreveu em um artigo publicado no dia 10 que nenhum país do bloco atendeu à conclamação da Comissão Europeia e só a China respondeu.

Neste último mês, a China dedicou esforços duradouros para controlar a epidemia e conseguiu progressos periódicos. As medidas tomadas pelo país ajudaram a ganhar tempo para os preparativos de outros países e estabelecer uma linha de defesa contra o vírus.

Sob o princípio de abertura e transparência, a China compartilhou a sequência genética do novo coronavírus com a Organização Mundial da Saúde e comunicou as informações epidêmicas aos países e regiões relevantes.

A China já realizou vídeoconferências com UE, ASEAN e União Africana. Várias versões dos planos de diagnósticos e tratamento da pneumonia na China já foram traduzidas para outras línguas. O país também doou verbas à OMS, além de oferecer e exportar materiais e equipamentos e enviar equipes de especialistas a países em necessidades. A China realizou, ainda, cooperação com outros países para o desenvolvimento de medicamentos, vacinas e reagentes de detecção.

As ações chinesas são tanto um retorno à ajuda da comunidade internacional como uma responsabilidade à segurança sanitária pública do globo. Isso também é uma prática do conceito do futuro compartilhado da humanidade. As medidas efetivas tomadas pela China já foram aplicadas em outros países.

Atualmente, a situação epidêmica no mundo ainda é severa. O secretário-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, anunciou que a pneumonia causada pelo novo coronavírus pode ser chamada de uma pandemia. Prevê-se que os números de casos confirmados e mortes, assim como dos países e regiões afetados, podem continuar aumentando nas próximas semanas. Ao mesmo tempo, ele destacou que o novo coronavírus pode ser controlado, como comprovado pela prática. Uma vez que todos os países diagnostiquem, tratem e isolem os doentes e mobilizem a população, impedirão a propagação da epidemia.

A epidemia é um inimigo comum da humanidade e deve ser tratada com os esforços da comunidade internacional. A ação, união, cooperação e tratamento dos doentes podem ajudar a humanidade a controlar a epidemia. Neste combate conjunto contra o COVID-19, a China nunca foi ausente e vai continuar dando suas contribuições.

Tradução: Paula Chen

Revisão: Diego Goulart

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Paisagem de primavera do Lago Oeste
Construção da superponte do rio Qingshui é retomada em Guizhou
Campo de flores de canola em Zhejiang
Os dois últimos hospitais temporários em Wuhan foram fechados
Guindastes-de-pescoço-preto na reserva natural nacional de Caohai
Hospital temporário de Wuhan realizou evento em comemoração ao Dia Internacional da Mulher

Notícias

Trump suspende todas as viagens da Europa para os EUA, exceto Grã-Bretanha
Países europeus anunciam novas medidas de prevenção epidêmica
Chancelaria do Irã diz que “auxílio” dos EUA é mentira
Irã constrói centros temporários para internar infectados com o COVID-19
China informa 15 novos casos de infecção pelo novo coronavírus nesta quarta-feira
China planeja enviar equipes médicas a Itália