Comentário: Cooperação pragmática impulsiona desenvolvimento das relações entre China e Rússia

Published: 2019-09-18 20:58:10
Comment
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

Durante a visita oficial à Rússia entre os dias 16 e 18 deste mês, o premiê chinês, Li Keqiang, reuniu-se com seu homólogo russo, Dimitri Medvedev. Na ocasião, os dois países planejaram o rumo da cooperação, assinaram dezenas de documentos cooperativos, definiram as medidas concretas para a próxima etapa, elevando, sem dúvida alguma, a cooperação bilateral para um novo patamar.

Durante as sete décadas desde o estabelecimento das relações diplomáticas, os dois países, considerando mutuamente o outro como prioridade da diplomacia nacional, estabeleceram um novo modelo de relações entre Estados baseado na não formação de uma aliança, não confrontação entre as duas partes e não direcionado a um terceiro país, criaram mecanismos para o intercâmbio de altos funcionários e a cooperação em diversas áreas, bem como formaram uma estrutura de cooperação de benefício mútuo.

Conforme o planejamento dos líderes, as duas partes definiram o aprofundamento da cooperação e a ampliação de interesses comuns como prioridades no desenvolvimento das relações bilaterais na nova era. O que é estimulante é que no ano passado, o volume do comércio bilateral ultrapassou pela primeira vez a marca de US$100 bilhões, um aumento de 27,1%. Nos primeiros oito meses deste ano, o comércio entre os dois países somou US$ 70,6 bilhões, apesar do crescimento lento dos investimentos comerciais no mundo. Esses fatos demonstram que a cooperação sino-russa possui um grande vigor e uma brilhante perspectiva.

O premiê russo, Dimitri Medvedev, revelou que os dois países planejam aumentar o comércio bilateral para US$200 bilhões antes de 2024. Tanto o comunicado conjunto divulgado após a reunião de premiês quanto as dezenas de documentos de cooperação assinados mostram claramente que os dois países vão dedicar mais esforços para promover a cooperação bilateral.

É previsto que, sob os esforços conjuntos, as vantagens da China em aspectos como indústrias, capitais e mercado vão agregar as vantagens da Rússia em aspectos como recursos, tecnologias e talentos. O foco da cooperação bilateral será mudado da área de energias tradicionais para a área de alta tecnologia, o que injetará novas forças motrizes para o desenvolvimento econômico e social dos dois países e levará mais benefícios aos dois povos.

Ainda na reunião de premiês, os dois lados afirmaram apoiar a globalização econômica, o livre comércio, defender a autoridade da ONU e o multilateralismo. Salientaram seguir os valores e princípios do sistema de comércio multilateral baseado em normas da Organização Mundial do Comércio (OMC), bem como expressaram oposição ao unilateralismo e protecionismo. Tais consensos e ações são novos esforços feitos pelos dois para salvaguardar a estabilidade e a prosperidade da região e do mundo.

tradução: Shi Liang

revisão:Gabriela

Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Uma ponte suspensa de vidro em Zhangjiakou
Paisagem de outono em Lhasa
Metrô de Chengdu decorado com pintura de Huanglong
Festival Internacional de Lanternas de Macau
Campeonato Mundial de Wingsuit Flying de 2019 realizado em Zhangjiajie
Bélgica, terra do chocolate

Notícias

Mascotes dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Inverno de Beijing são revelados
Atentado mata 24 pessoas durante campanha presidencial no Afeganistão
Comentário: Inovação adiciona forças motrizes à economia chinesa
Chancelaria chinesa opõe-se às calúnias contra a segurança do 5G da Huawei
China tem condições para alcançar crescimento econômico previsto
Shanghai lança mapa de orientação de investimento para participantes da CIIE