Comentário: Intenção sinistra dos EUA de manchar a China com taxa de câmbio prejudica o mundo

Published: 2019-08-09 19:23:49
Comment
Share
Share this with Close
Messenger Messenger Pinterest LinkedIn

O Departamento do Tesouro dos EUA rotulou recentemente a China como "manipuladora de moeda", o que viola as regras multilaterais e mina o consenso global. Essa prática extremamente irresponsável e sinistra prejudicará não apenas o mundo, mas também o próprio país.

Grandes flutuações na taxa de câmbio de qualquer país terão um impacto incalculável no seu crescimento econômico e desenvolvimento. No primeiro semestre deste ano, havia dezenas de países que tentaram estimular o crescimento econômico baixando as taxas de juros. Neste momento, a prática norte-americana terá um enorme impacto negativo sobre o sistema monetário internacional.

Cada vez mais especialistas e analistas norte-americanos observam que as oscilações recentes do renminbi (RMB) são uma reação normal às ameaças dos EUA de impor novas tarifas sobre a China, em vez de resultados de uma "manipulação cambial".

A China vem insistindo em um sistema de taxa de câmbio determinado pelo mercado. O país nunca se envolveu na desvalorização competitiva nem usou a taxa de câmbio como uma ferramenta política em resposta a distúrbios externos, um reflexo de seu senso de responsabilidade como uma economia responsável pelo crescimento global.

Tradução: André Hu

Revisão: Gabriela Nascimento


Share

Mais Populares

Galeria de Fotos

Turismo ecológico em Zhejiang
Paisagem noturna de Nanchang, capital da província de Jiangxi
RoboMaster, uma competição de robótica anual da China
Aproveite a melhor estação do ano em Yajiang
LEGO abre sua primeira loja em Xi'an
Paisagem do ponto cênico de Hongcun, província de Anhui

Notícias

China promove classificação de lixo em principais cidades
Turismo vermelho atrai mais jovens na China
BCE lembra agravo contínuo nas expectativas do crescimento econômico mundial
Comércio exterior da China cresce 4,2% até julho
Reservas de divisas da China somam US$ 3,1037 trilhões em julho
Invest São Paulo Day em Shanghai reúne banqueiros e empresários chineses e brasileiros